quinta-feira, 7 de julho de 2011

O Idiota

Quem é?
Sou Eu...
Aliás às vezes sou tão estúpido que só me apetece esbofetear-me.
Nunca o costumo fazer e nem sei o que me passou pela cabeça mas, possivelmente por ser o último ano que vou ter notas a disciplinas, e porque ele estava por perto quando fui ver, mostrei-as ao meu pai, mesmo ainda faltando saber 3 resultados. Eu não aprendo mesmo...
Depois de olhar uns 30 segundos para a pauta diz apenas com arrogância:
"Um 13 e um 14 são notas baixinhas!"

Confesso que estive a 2 passos de lhe dizer um valente:
"Vai-te f*der!!"

Enfim, depois de tudo o que ele já me fez e me disse ainda há quem fique indignado quando digo que detesto o meu pai. Mas é a pura verdade e nunca vai mudar. A cada palavra dele no dia a dia lembro-me com rancor aquilo que me disse quando soube da minha orientação sexual há alguns anos atrás. E mesmo antes disso, não me lembro de grandes manifestações de afecto por parte daquele ser (pouco) humano...

26 comentários:

Weasley disse...

Excelentes notas! Parabéns!! :D
2 vintes! Ena!
Na minha faculdade numa vi nenhum ser atribuído... os professores dizem que o 20 não é para ser dado, é apenas uma marca de limite...

A minha mãe seria capaz de dizer o mesmo. Mas isso talvez porque a 'habituei mal', com boas notas no Secundário.

Assim, a atenção dela recai mais nas notas abaixo de 16 do que nas outras...
porque "essas outras é o que ela está à espera e acabam por tornar-se numa ocorrência normal..."
Não raras vezes discuti com ela sobre esse assunto...
Enfim.

Muitos parabéns mais uma vez pelo teu trabalho!!

ψ Psimento ψ disse...

No meu caso os meus pais só sabiam as minhas notas no básico porque tinham de ir à escola.
De qualquer forma espero que se um dia tiveres filhos não tomes a mesma atitude da tua mãe. O trabalho e o esforço deve ser mais valorizado do que o resultado quantitativo. Está provado que um simples reforço verbal pode ter enorme influencia positiva nos resultados principalmente nas crianças. Com isto não digo que se deve ignorar os maus resultados, mas sim que se deve dar ênfase aos bons. Os meus professores são todos psicólogos por isso certamente devem ter consciência que se o 20 existe como classificação é porque é para ser atribuído quando merecido.
De resto obrigado pelos parabéns pelo esforço que é o que basta dizer nestas situações!
Um abraço

Meia Noite e Um Quarto disse...

Antes de tudo parabéns, ter essas notas no ensino superior é extremamente raro, és um aluno de mérito.

Eu tinha essas notas...antes de entrar pa faculdade...nem te digo a minha média para não deixares de me visitar lá no blog... lol

Meu pai disse que me preferia ver em drogas do que ser homossexual, acho que ainda não o consegui desculpar, além disso sinto que lhe custa imenso perceber que já não sou um menino, e que hoje a minha cabeça foi mais longe e sabe mais do que a dele, vai daí chama-me de intelectualzeco e acha-me com a mania que sei tudo, quando na verdade é ele que sabe!!!

É esta a nossa sina portanto, não obstante ter sido um balde de água fria a observação do teu pai, tu fazes e estudas e consegues as tuas vitórias por ti, acima de tudo por ti...

Mais uma vez, muitos parabéns! :-)
forte abraço

ψ Psimento ψ disse...

00:15 Obrigado, obviamente que eu sei que as vitorias são minhas e para mim mas não lhe ficava mal uma vez na vida congratular um filho ou dizer algo simpático. Nitidamente temos pais muito diferentes, o meu além de sofrer de ignorância cronica ainda tem falta de humildade e qualquer coisa que lhe seja dita contra as suas ideias, mesmo que seja algo irrefutável ou cientificamente provado, ele é incapaz de assimilar.
Relativamente à orientação sexual, antes me tivesse ele dito o mesmo que o teu eheheh.
Um abraço.

Bongop disse...

PARABÉNS PÁH!!!
(O meu pai já ficava satisfeito quando eu não tirava negativa!)
LOL

Teté disse...

Há pessoas assim, que parece que nasceram para desincentivar os outros, sejam familiares ou não!

Lembro-me de um amigo meu, já falecido, que quando a mulher elogiou e com razão o jeito para desenho da filha de ambos, de 5 anos, encolheu os ombros, fez um pfff e acrescentou que ele com aquela idade desenhava muito melhor. Certo é que não tínhamos termo de comparação, mas nem em adulto alguma vez lhe vi algum desenho. E a miúda desenhava mesmo muito bem, às vezes para os entretermos (eram todos pequeninos, com diferenças de 2/3 anos de idade) fazíamos concursos de desenhos e ela ganhava sem dificuldade nenhuma. Quer dizer, quando um dos concorrentes era o meu filhote, que durante a sua vida escolar inteira só chumbou duas vezes a desenho (6º e 8º ano), e com sorte, tinha a vida facilitada... :)))

Quanto às tuas notas: MUITOS PARABÉNS, são EXCELENTES! :D

Beijocas!

X disse...

Uau! Grandes notas! Parabéns! Não sei o que é um vinte! O mais longe que já cheguei foi um 19...
Sei que é muito difícil o que ouviste em relação às notas porque já ouvi o mesmo. E é óbvio que gostas do teu pai e que queres (e mereces!) a aprovação dele. Mas... eu não acho que devas nutrir esse tipo de sentimentos. Apesar de os compreender e serem perfeitamente naturais acho que só não te vão fazer bem a ti. Tenta fazer uma coisa que o teu pai ainda não fez contigo: aceitá-lo como ele é. Não mantenhas a expectativa que ele mude ou que se torne algo que não é porque senão corres o risco de te estares sempre a desiludir...Para mim é muito fácil falar sei que na realidade as coisas são mais difíceis...Mas é este o meu conselho. Um abraço

ψ Psimento ψ disse...

Bongop: Obrigado o meu teria o mesmo a dizer se fosse tudo negativas eheheh.

Teté: Obrigado Tetá. Essa é uma terrível forma de parentalidade. Principalmente quando se é criança e se procura aprovação para evoluir. Não me surpreende que 90% das perturbações mentais de crianças e adultos tenham como origem uma relação parental desadaptativo.

X: Obrigado mas, como bem sabes os sentimentos não se controlam, apenas se sentem. Podem é ser mascarados para que os outros não se apercebam mas, só muito dificilmente são mudados. Quanto ao teu conselho, aceitar uma pessoa preconceituosa, homofóbica, fria, ignorante, inflexível e intratável tal como ela é não me parece plausível pois vai contra tudo aquilo em que acredito e que faz de mim a pessoa que sou. Sei que não há comparação possível entre as duas pessoas mas o conselho que me deste é quase como se me pedisses para eu aceitar o Hitler tal como ele é (foi).

X disse...

Compreendo que as diferenças entre ti e o teu pai sejam inconciliáveis. E admiro-te por teres fé nele e por continuares a lutar para que ele te aceite. Mas se ele realmente é isso tudo porque continuas a tentar que ele te aceite? Acho excessivo compará-lo ao Hitler. A não ser que ele ande a correr atrás de judeus com um maçarico...

Theomentos disse...

Olha eu sei que dizer isso é fácil mas deixa lá, eu nunca mostrei uma nota para os meus pais, acho que eles não iam ficar felizes :P e olha que só tenho 1 vinte de resto... Enfim acho que tens que te orgulhar das tuas notas, e as baixinhas tmb sabes que são naquilo que menos gostas, até em estatística foste melhor :P Sobre o cometário do teu pai acho que serve para te fortalecer, além do quão forte já és, não sei se conseguiria ter feito metade do que já fizeste e superaste na vida. Amo-TEEE

pinguim disse...

Primeiro que tudo, parabéns pelos excelentes resultados.
Depois, e embora não seja fácil, procura não dar demasiada importância à reacção do teu pai; quem sabe se no fundo não ficou mesmo satisfeito?

Nuno Miguel Lopes disse...

Meu caro ψ Psimento ψ, vim ter ao teu blog através do blog do Bongop.

Deixa-me dizer-te que sei bem o que é ter um pai intolerante e preconceituoso. Não o digo pela questão da homofobia (como não sou homossexual, nunca sofri homofobia parental na pele - a ti e a todos os que infelizmente já sentiram, o meu voto de força e dizer que um indivíduo que se assume como é tem mais tomates do que qualquer outro), mas por achar que sabe tudo e que a sua ideia é que é a certa - independentemente do maior especialista da área dizer o contrário.

Parece-me que talvez seja algo geracional. O meu pai está agora na faixa etária dos 50 e vejo que ele e os da geração dele são, no geral, tipos preconceituosos, turrões e a mania que são os maiores ao cimo da terra.

O melhor conselho que te deixo é o de não deixares que a personalidade dele afecte em nada a tua. E a melhor vingança? Se algum dia fores pai, ainda no tempo de vida do teu, mostrar-lhe que serás para o teu filho um pai muito diferente. O teu pai irá aperceber-se que a geração dele (ou seja, o tempo dele) está a terminar - e isso, meu caro, é o pior que se pode mostrar a alguém! ;)

Um grande abraço.

sad eyes disse...

nesses momentos temos que ser frontais e chamar as pessoas à razão.
deverias simplesmente dizer ao teu pai que gostaria de ouvi-lo dar-te os parabéns pelas boas notas (coisa que nunca faz), mesmo que te dissesse que algumas eram baixas...
chega um momento em que temos que chamar os bois pelos nomes...

ψ Psimento ψ disse...

X: Eu disse que eles os dois não tinham nada a ver e que não havia comparação possível entre eles. Foi só para me fazer entender. Quanto à tua pergunta acho que o titulo deste post responde a ela na totalidade...

Theo: Sim, eu bem digo que não gosto de trabalhar com crianças eheheh. Obrigado porque metade daquilo que superei foi porque estavas ao meu lado.

Pinguim: Obrigado, mas duvido que ele sequer tenha voltado a pensar nisso.

Nuno Miguel Lopes: Identifico-me imenso nas tuas palavras, os nossos pais devem ter sido amigos de infância ahahhah. O meu também é assim, podes dar-lhe as justificações mais irrefutáveis e todas as provas cientificas existentes que ele não muda de ideias, muito menos se for um filho a dizer-lhe isso, porque se for alguém de fora de casa já é possível que considere (mas mesmo assim é difícil). Só para te dar um exemplo daquilo a que me refiro, o meu pai não acredita que tenham existido dinossauros. Na opinião dele os fosseis encontrados são falsos e foram apenas criados como estratégia de Marketing para vender brinquedos e filmes relacionados com o tema.........

sad eyes: Ahhahah digamos que se eu chamasse os bois pelos nomes teria coisas muito mais importantes a dizer-lhe que a situação das notas. Não que já não tenha tentado mas as coisas correram terrivelmente mal. Acredita que é um caso perdido eheheh. Nem toda a psicologia do mundo abre os olhos a esta pessoa.

Nuno Miguel Lopes disse...

Bom, o meu pai não chega ao ponto de negar a existência dos dinossauros. Mas olha que o marketing dos bichos funcionou bem!:p

Quando dizes "muito menos se for um filho a dizer-lhe isso, porque se for alguém de fora de casa já é possível que considere" é mesmo isso! Suponho que será porque consideram uma afronta o filho ter uma posição contrária. Por isso, não o aceitam da própria prole, embora o possam consentir a alguém fora de casa. Como disse anteriormente, parece-me que será algo geracional e eles ainda pensam no pai como sendo o chefe da família: a casa é o seu reino e não admitem desafios ao trono. ;)

ψ Psimento ψ disse...

Acho que também lhes deve fazer confusão a inversão de papeis. Durante muito tempo foram eles a ensinar-nos e agora já temos algo para lhes ensinar a eles e isso provavelmente faz-lhes confusão. O que de qualquer forma na minha opinião não é mais do que falta de humildade...

Nuno Miguel Lopes disse...

Sim, tens razão, também é isso. Não acredito é seja apenas falta de humildade. Devido à nossa educação e abertura cultural, somos capazes de nos colocar no lugar das outras pessoas e tentar compreender o ponto de vista delas; eles não. Por isso, acabamos por ser mais evoluídos mentalmente e é com essa consciência que temos de ser nós a controlar a interacção com eles (saber exactamente o que dizer e em que altura).
Acaba por ser um pouco como a luta do Professor Xavier para que os mutantes sejam aceites pelos humanos: o Xavier é evoluído mentalmente e compreende o ponto de vista dos fanáticos anti-mutantes; mas isso não significa que ele abandone a luta, arranja é outras formas de combater. ;)

Falando em X-Men, pelo que vi aqui no teu blog também és fã dos mutantes. Dá uma olhadela a este post que escrevi ontem e vê lá se conheces a série:

http://outroladodoscomics.blogspot.com/2011/07/x-men-animated-series-1992-1997.html

ψ Psimento ψ disse...

Curiosamente fui ler e comentar ainda antes de ler este teu último comentario, o que foi engraçado! ;)

Nuno Miguel Lopes disse...

Eheheh, belo sincronismo. :) Deixa cá ver o que escreveste lá.

Mark disse...

Olá ! (:

Parabéns pelas notas. São, de facto, muito boas.
Comecei este ano o meu primeiro ano universitário e, modéstia à parte, também tenho das melhores notas por lá. Ainda não atingi a excelência do "20", mas no meu curso duvido que tal seja possível. Aliás, mais de 16 é bastante difícil...
Espero, também, que tenhas tido a sorte de compartilhar alegrias e tristezas, boas e más notas, ao longo do curso, com colegas afáveis e descomprometidos. É que geralmente - e falo por experiência própria - os bons alunos atraem sobre si todo o tipo de sentimentos. Há quem incentive e há quem inveje. (:

Boa sorte pela vida! ^^

Diabba disse...

Muito boas as tuas notas. Desejo que a diabbita-minorca te veja como um exemplo. ]:-D
A minha amada mamã, ao contrário do teu "pai", sempre que a coisa corria menos bem, rogava um chorrilho de maldições aos professores, a culpa nunca era minha, era sempre daqueles filhos-da-fruta! ]:-D
beijos d'enxofre

TUSB disse...

Deixa estar, o meu pai é igual, mas uma vez fora de casa, e quando não o tiveres de ver todos os dias, a relação torna-se...
"menos pior"

paulofski disse...

Parabéns pelas notas Psi. O preconceito turva mentalidades. Tens mérito e deves ter orgulho de ti, do teu empenho e atitude. Força aí.

ψ Psimento ψ disse...

Mark: Obrigado Mark, se há coisa de que não me posso queixar é do grupo de amigos que construí na faculdade e que sempre se entre-ajudou, motivou e apoiou mutuamente. Somos um grupo pequeno que mesmo agora depois de ter seguido caminhos diferentes após a licenciatura, nos continuamos a encontrar e a acompanhar.

Diabba: Obrigado, já no caso dos meus pais os professores são quase divindades colocadas num pedestal, e se eles fazem ou dizem algo é porque têm razão.

TUSB: Espero que assim seja eheheh.

paulofski: Obrigado, pena que nem todos vejam isso.

Cumprimentos a todos

KarenB disse...

Olá Psimento!!!

Antes de mais, MUITOS PARABÉNS!!!! Mas que grandes "notões"!!!
Como vês, o esforço (que foste partilhando connosco aqui no blog) compensa!!

Quanto ao teu pai... Quando li, a primeira coisa que me veio à cabeça foi: onde é que eu já ouvi esta história...
No meu caso, e resumidamente, passei uma vida inteira a estudar para ser o orgulho do papá, com quem tinha uma relação excelente, sem igual, garanto-te. Até um dia em que as coisas mudaram nas nossas vidas, o meu pai mudou (passou a ser uma pessoa revoltada, a achar que todos lhe devem e ninguém lhe paga) e nada chegava, já nada chegava. Ouvi muitas respostas como a que o teu pai te deu. E acredita que me sentia muito magoada, pois mesmo sem ele saber, o que fazia era para lhe agradar. Sempre que recebia uma nota ainda melhor do que era habitual, não, não era em mim que pensava em primeiro lugar. No que pensava era em como o meu pai ia ficar feliz. Mas não ficava assim tanto, porque podia sempre ser melhor... Até um dia. Até um dia em que apesar da minha vida girar em torno do meu pai, ele me disse que eu era uma grande desilusão para ele. Doeu tanto, mas tanto, que desde esse dia que disse para mim "chega".
Quando passei a viver por mim, a estudar por mim, a tirar boas notas apenas por mim e a sentir a realização só minha ao recebê-las sem pensar em terceiros passei a sentir-me muito melhor, assim como quando as coisas nem sempre corriam tão bem. Passei a sentir um alívio muito grande, pois deixei de sentir a pressão de agradar ao papá. Sinto que nesse dia cresci.

Bem sei que precisamos sempre, ainda que o queiramos omitir, que alguém se orgulhe de nós. Se os pais não estão lá para isso, como é o caso do teu pai. Sente esse orgulho no Theo, nos teus amigos e de certa forma em nós também, que te lemos.
Mas sobretudo, põe os olhos no futuro e vive por ti e para ti. O teu esforço, as tuas capacidades acima da média, o teu trabalho, os maus bocados que passas agora, no futuro darão frutos, acredita. É assim que deves pensar.

Não te recrimino por pensares assim do teu pai. Não sei o que ele te disse quando soube da tua orientação sexual, mas decerto terá sido algo que te magoou muito. E eu sei bem que há coisas que não se dizem a um filho e sei bem, infelizmente, a capacidade que certos pais têm de, ainda assim, as dizerem. É triste, mas temos de dar um passo em frente e "agarrarmo-nos" ao que sentimos por aqueles que verdadeiramente nos amam e a quem amamos. É uma boa forma de compensar aquela perda que, ainda assim, nunca será verdadeiramente compensada.

Um grande beijinho para ti e... desculpa o testamento.

ψ Psimento ψ disse...

Karen B - Não tens de pedir desculpa pelo testamento eu adoro os teus comentários e no teu caso quantidade é qualidade.
Eu na altura coloquei aqui no blog aquilo que o meu pai me disse mas não é um post a que tenha voltado desde então.
Relativamente à situação nunca fui como tu de mostrar as notas ao meu pai e não fiz em busca de aceitação. Tenho consciência que as notas são minhas e para mim. Estava curioso para saber qual a reacção dele e penso que queria que ele visse que até me estavam a correr bem as coisas.