segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Ao que nos sujeitamos por uns trocos :p

Como já referi aqui, faço parte de uma banda filarmónica para ganhar uns trocos, até porque neste momento não estou a trabalhar. Além duns concertos ocasionais, a principal fonte de lucro da banda são as romarias portuguesas que ocorrem principalmente no Verão. Como tal, mesmo não sendo religioso já devo ter feito mais procissões que a grande maioria dos devotos (claro que nós estamos lá pelo dinheiro, mas isso não interessa nada). As procissões por seu lado são o que qualquer um de nós mais odeia nessas romarias pois, regra geral, são feitas debaixo de Sol abrasador, a meio da tarde e com aqueles fatinhos engravatados ridículos que podem ver na imagem.

Há várias coisas nestas festas que me suscitam uma curiosidade extrema:

1 - Porquê que as pessoas põem toalhas e cobertores à janela quando a procissão vai passar?

2 - Será que num belíssimo dia de Sol (Domingo normalmente) há tanta gente que não tem nada mais interessante que fazer do que ir ver uma procissão?

3 - Se vocês fossem uma "Nossa Senhora" dava-vos especial prazer ver uma pessoa a fazer uma procissão de quilómetros descalça para pagar-vos uma promessa? (Esta pergunta só é dirigida a quem não tem vertentes sádicas)

Mas quanto a estas três coisas, cada um sabe de si, como digo sempre. Agora há algo que solenemente me irrita...
Estão a ver toda aquela vegetação a nossos pés?? É que esses "enfeites" prolongam-se por todo o trajecto da procissão e implicam a destruição de imensas planas. Saliento também que o "tapete" desta foto é extremamente fino para a média dos que habitualmente encontramos. Além disso estes "enfeites", só duram até as primeiras quatro pessoas da procissão lhe passarem por cima... (So..... What is the point???)
É que quando a banda passa, já só existe uma salgalhada de flores e ervas esmagadas que além de se tornarem imensamente escorregadias, enrolam-se nos pés. Acreditem, para quem vai ali a morrer de calor e de sede, tem de estar atento à afinação, às notas e à sincronia dos passos é muito desagradável ter ainda de estar atento aos buracos das estradas portuguesas e a todas estas armadilhas multicolores que o povinho põe na rua.
Mas algo aconteceu na última festa em que participamos(ontem) que me fez ter saudades das plantinhas. Inicialmente fiquei satisfeito por constatar que não estavam em lado nenhum mas conforme avançamos verifiquei que naquela procissão o nosso contacto com a Natureza seria muito mais "primitivo". É que para além de termos andado por ruelas e becos rústicos, os pavimentos estavam recheados de gigantescas BOSTAS de vaca.
É que mais parecíamos um grupo de salta pocinhas do que uma banda filarmónica. Isto já para não falar no cheirinho a condizer... Pah, é que nunca tinha visto tanta merda na vida...
Enfim, voltem flores, estão perdoadas :p

16 comentários:

Theomentos disse...

Olha fartei-me de rir com esse post, sei que a sério não teria graça mas como colocas as coisas é impossível não imaginar a tua cara a passar pelos dejectos bovinos. Então do início, a 1ª pergunta não sei responder, a 2ª acho que tem muita gnt que não tem nada mais interessante pra fazer e sim anda lá a ver a procissão. 3ª Se dá prazer eu não sei mas que deve ser uma chatice ficar sentado lah de cima a ver aquilo passar, mas o bom é que vai a banda a tocar, pior mesmo é quando vão a cantar aquela chorumela. Sobre as plantas eu concordo o enfeite é desnecessário mas se for pensar em todos os animais mortos para que o carnaval no BRasil aconteça dá uma dor imensa. Sobre as vacas... são coisas que acontecem :P

Bongop disse...

Espero que nunca tenhas de fazer uma procissão na Ilha de S. Jorge nos Açores...
As estradas não são alcatroadas, são "abostadas" onde se vê ali e acolá um pouco de alcatrão!
:D

Abraço

Diabba disse...

Ahahahahah imagino-te a tocar, e aos pulinhos ao mesmo tempo. ]:-D

beijo d'enxofre

pinguim disse...

Desculpa, mas tive de me rir.
Nunca tinha olhado uma procissão nesta perspectiva.

Ro Fers disse...

Bacana o post, e bem engraçado...
Não deve ser nada facil tocar numa banda, admiro esse talento...
Abraços

Lyn disse...

Eu vou para os treinos que vai dar ao mesmo

**

paulofski disse...

Já conhecia essa mania de forrar as ruas de flores agora besuntar o pavimento de bosta de vaca...! Para além de vos tornar numa banda alternativa ainda vos obriga a uns passitos de dança, eheheh.

Fantástico.

Antigamente nas festas da terra dos meus avós (Mós do Douro)os músicos das bandas ficavam instalados (dormida e comida)nas casas dos residentes. Actualmente já não costumam ficar mas a banda cumpre as procissões da praxe e na última noite faz a chamada "volta ao povo", onde os músicos já com uns copitos a mais se misturam com a populaça e vão pelas ruas da aldeia tocando as modas mais alegres. É uma festa que só termina altas horas da noite.

X disse...

O que vale é que não deixaste o teu sentido de humor de lado!

Francisco disse...

Também não sou grande apreciador de procissões mas a minha parte preferida é exactamente quando passa a banda e também os anjinhos (quando os há) porque são muito engraçados.

Teté disse...

Ahahah, foi um conluio de vacas ateias, para acabar de vez com as procissões lá na terra... :)))

Mas sim, dá para entender esse perdão às flores espalhadas nos vossos caminhos! ;)

Beijocas!

Daniel Silva (Lobinho) disse...

HUm... que dizer? Bem, penso apenas que vês a procissão na perspectiva de quem está a trabalhar, o que te dá uma visão bem menos romântica e graciosa da coisa ;) É por isso que nao percebes as toalhas e mais nao sei qu<~e às janelas! É que enquanto tu estás a trabalhar sob sol abrasador e tudo tem uma chatice obviamente acrescida (ossos do ofício, eh eh) para as pessoas que preparam tudo, a banda filarmonica é apenas um elemento do todo: existe a devoção, o arraial, a comida, o enfeite como forma de educaçao, homenagem, agradecimento, tal como antes aos reis quando passvam na rua, ou tal como as capas academicas sob pes de figuras a quem se dá esse privilegio... Fizeste-me lembrar aquele que diz que nao vê no mar nada a nao ser um monte de água... mas, e se ele estivesse apaixonado? Veria o mesmo? ;)

Um grande abraço,

Meia Noite e Um Quarto disse...

aaaahhhh esta é a tal banda!!! fez-se luz na minha cabeça!

deixa, de tanta procissão já tens o teu lugarzinho no céu ;-)

ψ Psimento ψ disse...

Theo: As churomelas é só na missa. E eu adoro missa, durante a missa a banda não toca por isso corre tudo para os copos eheheh. Eu acho que estas perguntas não têm resposta mesmo.

Bongop: Alcatrão?? Aquela terra ainda não descobriu isso, tinha uns paralelos (às vezes).

Diabba: Na verdade acho que saltei mais do que toquei.

pinguim: Ehehhe acho que todos olhamos de forma diferente.

Ro Fers: A tempo inteiro não seria mesmo, mas como normalmente é só aos fins-de-semana, menos mal.

Lyn: Não será muito diferente ehehe.

paulofski: A bosta não me parece ter sido intencional eheheh, acho que faz mesmo parte da vila. Sim banda musical e copos andam sempre de mão dado. Ás vezes as notas até parece que fogem :p

X: Nem era razão para isso eheh.

Francisco: Não acho lá grande piada, mas também deve ser por já não saber quantas procissões já fiz... centenas...

Teté: Se foi essa a razão aplaudo as vaquinhas, pena não ter resultado. :p

Lobinho: Já tivemos esta conversa mas acho que no fundo não encontro beleza em nenhuma aspecto de uma seita com traços sadomasoquistas, hipócrita, inflexível,retrograda e fomentadora de ódio cujos malefícios para a nossa sociedade em muito suplantam os benefícios.

00.15: Dispenso, a única coisa que quero deles é um cheque no final de cada trabalho.

Cumprimentos a todos e a todas.

sad eyes disse...

Com tudo isto ficámos sem saber que instrumento sobras :p

ψ Psimento ψ disse...

Trompete, já anteriormente falei disso :)

Mike disse...

Psi, sei do que falas...e o que sentes.
Aqui o Mike também frequentou estes terrenos durante uns bons 8 anos e realmente as procissões era o que dava mais dor de cabeça.
Além do que dizes,sempre me irritou outra coisa; as pessoas que não eram muito disciplinadas e não seguiam o ritmo normal de uma procissão, o que fazia com que fossem sempre a anos luz de distância da banda.lol

Nesta banda....há um senhor que lhe falta o chapéu!!!

Abraço.