quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Não há Pílulas para Ninguém!!!

Isto está a atingir proporções ridículas. Agora foi retirada a comparticipação deste método contraceptivo. É que nem toda a gente pode pagar 15 ou 20 euros para ter a acesso a este produto que é uma necessidade básica e passou a ser considerado um luxo a partir deste momento.
Isto, como é claro, vai ter um profundo impacto na forma como se realiza o planeamento familiar. E escusam de me vir com uma de "Há sempre o preservativo" porque, primeiro a pílula tem mais funções do que apenas impedir a gravidez e segundo nem todos temos a mesma "cabecinha" e os estudos mostram que o uso do preservativo é muito mais negligenciado do que a pílula nos casais heterossexuais.
Cheira-me a aumento da gravidez na adolescência e a consequentemente aumento da interrupção voluntária da gravidez....
Não me surpreende que daqui por uns meses, tal como eu tinha previsto, o governo decida fazer um novo referendo para este assunto como consequência do "bang" de abortos...
Mas o que interessa ao povo é simplesmente "pelo menos já não é o Sócrates". Aplausos, está a ser muito mais divertido e animado agora....

10 comentários:

Denise disse...

Fiquei mesmo indignada quando vi a notícia; agora é que vai ser bonito.
Se até aqui já havia um grande número de mais adolescentes, então agora é que vai aumentar.

Vamos de mal a pior neste país!

Theomentos disse...

Realmente este Sr. está a sair-se melhor que a encomenda. E as consequências são bem essas que citaste. É o povo a fazer mais filhos e a não ter como os sustentar. Mas se calhar essa é uma "estratégia" do governo para aumentar o consumo com os novos bebés e que a longo prazo irão contribuir para aumentar o montante da segurança social. Mas deixemos de filosofia política isso a curto prazo será mesmo um desastre.

pinguim disse...

André
conheces as minhas ideias, mas sinceramente não esperava que este governo fosse tão mau.
Na questão da saúde, já se adivinhava, ao saber quem era o ministro: um gestor, sem o mínimo de humanidade para uma tutela que precisa muito dela. E não foi só a pílula: foram os cortes nas comparticipações dos medicamentos para asmáticos, a diminuição dos transplantes, fora o que aí vem...
Alguém que diga a este ministro, que não se brinca com a saúde das pessoas e que não se hipoteca a vida das pessoas a troco da diminuição da dívida pública.
E não ninguém que vá para a rua???
Será preciso o Sócrates dizer alguma coisa para haver reacção????
Porra. Basta!

Teté disse...

Nem sabia dessa "novidade", que, tal como tu, acredito que vai sair muito mais cara ao país em geral e à saúde das mulheres em particular!

Infelizmente, continuo a pensar que passámos de mula para burro! Oxalá me engane!

Beijocas! :)

Meia Noite e Um Quarto disse...

Estou aqui a ler o comentário do Pinguim...neste momento estamos num marasmo...a depressão é enorme, assim como a resignação...penso que a nível de optimismo/estado de espírito da nação, e tu deves estar mais por dentro disso, estamos como a Grécia, com falta de reacção, consignados ao que nos impingem... já nem dá para culpar o Sócrates porque as eleições foram há tão pouco tempo que as pessoas devem estar cheias de vergonha do voto que tiveram...digo eu...

sad eyes disse...

será polémico demais.
não me parece que tenha sido uma medida moralista de direita, mas sim uma tentativa de cortar, e vão perceber rapidamente que estão errados.

Rafeiro Perfumado disse...

Tens de ver que o equilíbrio está garantido. Se por um lado com menos pílulas no mercado vai hver mais putos, por outro lado a comparticipação às vacinas também vão à vida, pelo que se reduz o número de putos. Seria brilhante, se não fosse tão cretino.

Abraço!

PS: sim, estão a começar a abusar

Se7e disse...

hahah... mais putos, ou não?!


abc :)

So disse...

Mas continuam a ser de graça no centro de saúde...nem tudo esta perdido...eh preciso eh levantar o butt e ir la buscar como eu faço porque nunca paguei pílulas já que mas dão de graça de 6 em 6 meses.

ψ Psimento ψ disse...

Denise: vai mesmo.

Theo: É que se há coisa que não precisamos é de mais pessoas. Já não há emprego para os que cá estão, vai ser mesmo só gente para pedir mais subsídios...

Pinguim: Concordo contigo, eu não sou contra os cortes necessários mas na saúde dos portugueses não se devia mexer porque não tem preço.

Teté: Eu acho que estás muito certa, vamos de mal a pior. Não sei qual será o próximo corte... Francamente já nem sei que mais nos podem tirar.

00:15 Eu acho que as pessoas ainda vão tende reacções, agora na prática não podem fazer muito.

Sad eyes: Não, não digo que tenha sido uma medida moralista. Foi para bancar mais uns milhares.

Rafeiro: Não tinha pensado por esse lado, mas dado que algumas vacinas são obrigatórias os pais vão ter de pagar, nem que para isso vendam a roupa do corpo.


Se7e: Não me parece ser o que nos faz falta neste momento.

So: Valha-nos isso, mas há muita gente que certamente não se vai dar ao trabalho.