sábado, 5 de novembro de 2011

Plano B

Não dormi esta noite...
O Theo tinha de acordar ás 05:30 e eu já sabia que não conseguiria dormir...
Acabei de vir do aeroporto, deitei-me e tentei adormecer mas o sono teima em não chegar. Por isso, levantei-me e vim até aqui. A este meu canto que serve para todos os meus desabafos.
Seria de esperar que ao fim de 3 anos já estivéssemos habituados a despedias, mas não é assim... nunca fica mais fácil...
Era suposto ele ficar cá a fazer o mestrado enquanto eu terminava o meu, mas não foi possível. Ainda por cima, no Brasil tem um emprego como chefe de farmácia à espera dele e aqui nem num super-mercado conseguiu, tal é o estado deste país...
Estivemos juntos quase dois meses, mas passaram a voar e mal deram para matar saudades de meio ano afastados.
Com o primeiro plano estragado, engendrámos um novo. Assinamos um contracto de união estável que me permitirá tirar um visto de residência no Brasil assim que terminar a minha formação em Portugal. Falta terminar este ano e ainda vamos ponderar se faço o estágio para a ordem dos Psicólogos portugueses.
Entretanto estamos já a planear o nosso reencontro, provavelmente só em Maio. Mais meio ano...
Mas se aguentamos até agora, acredito que é porque vale mesmo a pena e que conseguiremos ultrapassar mais este obstáculo. Contudo, nem pensando assim consigo me livrar desta sensação de aperto no peito que tão bem conheço das despedidas anteriores...

13 comentários:

pinguim disse...

Eu nem digo nada, pois sei exactamente como te estás a sentir neste momento.
Tens pelo menos a minha inteira solidariedade.
E pensa apenas numa coisa simples: apesar de tudo, vale a pena!!!

Denise disse...

Sê forte! As despedidas são terríveis :/
Vais ver que depois valerá a pena quando se reencontrarem. :)

bjinho

X disse...

Sei que não é fácil. Mas tenta não pensar no "tempo que falta até" e pensa só "no" reencontro. Abraço

Ricardo disse...

Hey! Como tu dizes vale a pena :)
Hang in there, good luck...

Abraço ^^

Blog Liker disse...

Inspira, expira! Maio está ao virar da esquina, para quem está apaixonado! Um abraço grande.

Theomentos disse...

Vai passar rapidinho, agora eh pra te concentrares na tese e fazer aquilo tudo direitinho e tirar 22 :D
Amo-Te mor, a dor é grande e o coração fica pequenito mas nós somos fortes e tamos a fazer isso pra podermos ficar juntinhos daqui a nada :D
Nada de tristeza, agora é pra estudar :P
E com o invento da Drop podemos ver séries juntos lol
Bjo grande mor amo-te mais que tudo e cada dia tenho mais certeza que fiz a escolha certa em tar contigo e lutar por isso

Luís disse...

Como vocês sabem seguramente, nós gostámos muito de vos ter conhecido pessoalmente, há uma semana! Em relação aos factos deste momento, nada há a acrescentar, excepto que o texto é lindo e o comentário do Theo mais ainda. No fundo de tudo, a verdade é que mal vos conhecemos, mas pelo que lemos e pelo que pressentimos a vosso união é já um facto. Parabéns por isso e muito obrigado por nos inspirarem a todos com o vosso amor. Que sejam fortes e felizes na construção do vosso reencontro. Abraços para vós, nós!

Meia Noite e Um Quarto disse...

passei uma vez por essa situação e bastou-me...os dias seguintes são de um peso hediondo, é horrível, e lamento imenso que ainda não tenha sido desta que tenham ficado juntos de vez. Mas já há uma data por ansiar e isso traz uma nova força.

Muita força!!

Speedy disse...

tão bom :)
Explica-me lá isso, como se eu fosse muito burrinho, o que é o contracto de união estável? Vai haver festa? :D

Speedy disse...

tão bom :)
Explica-me lá isso, como se eu fosse muito burrinho, o que é o contracto de união estável? Vai haver festa? :D

ψ Psimento ψ disse...

Obrigado a todos pelo apoio. :)

Speedy, é um contrato semelhante à União de facto. No Brasil não existe casamento como tal esta é a opção mais viável para eu poder tirar um visto de residência. Não houve festa ehehhe.

Speedy disse...

=( chatice. ainda não fui a um casamento este ano e 2011 está a acabar...

um coelho disse...

Não tem comparação possível, mas quando eu e o P não viviamos juntos ia muitas vezes deixá-lo na estação onde ele apanhava o transporte para casa, que era o momento mais triste do meu dia. Ainda hoje, apesar de já vivermos juntos, sinto uma pequena tristeza quando passo naquele sítio e me lembro de quão doloroso era vê-lo partir.

Então e não houve despedida de solteiro???