sexta-feira, 6 de junho de 2008

Mãe...gosto de ti... :(

Contei á minha mãe…
Nunca fui muito próximo dos meus pais, normalmente o meu dia divide-se em três partes. A manhã para a faculdade, a tarde para trabalhar e a noite para estudar ou sair e, como tal, as vezes que conversávamos tornaram-se extremamente raras.
Na manhã de ontem, no entanto, durante uma longa e estranha conversa de 3 horas acabei por ir abordando o tema com suavidade e preparando-a para algo que nenhuma mãe está preparada para ouvir.
Devo admitir que na altura a reacção dela não foi o que eu esperava. Não berrou, não esperneou e não desatou a chorar (embora de certeza o resto do dia deve ter sido uma choradeira). Contudo também estou consciente que o choque deve ter sido tão grande que ela não sabia o que fazer. A cara de confusão e o olhar perdido que me fez foi sem duvida das coisas que mais me feriu e não propriamente o que me disse…
Confirmou que continuaria sempre a gostar de mim, mas está decidida a fazer-me mudar e acredita, apesar de tudo o que lhe digo, que só depende de mim essa mudança… Sinto-me arrasado quando me pede por favor para eu fazer um esforço, para pensar no meu futuro, para mudar de ideias… Feriu-me a cara de indignação quando lhe contei que os meus amigos mais próximos sabiam da minha orientação, na opinião dela isto deveria ser algo demasiado vergonhoso para eu contar seja a quem for…
Na sua confusão tentava negar o que se passava, dizendo que isto era apenas uma curiosidade de experimentar, argumento que eu contrapus quando lhe disse que namorei mais de um ano com um rapaz (mais uma facada para ela).
A conversa acabou por terminar quando lhe prometi que iria á psicóloga com a condição de ela vir comigo. Sei que a psicóloga não me fará mudar a minha opinião, como é claro, mas vai sim ajuda-la a aceitar e a lidar com a situação.
Neste momento há um grande desconforto entre nós, sempre que pode continua a pedir-me para mudar e a dizer o quanto magoada está. Hoje vou para Lisboa, vai fazer-me bem estes dias, e espero que a ela também… quanto ao resto da família, decidimos que não iríamos falar com mais ninguém.
Eu compreendo que seja difícil para uma mãe ouvir isto e que tenho de lhe dar tempo, mas e eu?
É fácil para mim?
É Fácil viver ás escondidas e não poder estar com quem gosto á vontade?
É fácil não ter opção? Eu se pudesse não era assim, não escolhi, não tenho culpa…
É fácil passar-se pela adolescência e aperceber-me que sou diferente dos outros rapazes e não tinha ninguém para desabafar?
É fácil saber que não terei filhos?
É fácil passar o dia a ouvir piadinhas sobre o tema e viver numa sociedade que não me aceita por algo que eu não escolhi?
É fácil viver á margem?
É fácil aceitar-me como sou?
É fácil não sentirmos o apoio e a total compreensão daqueles que supostamente sempre deveria estar lá por nós?
Não me venham falar de ser uma situação difícil, porque dificuldade tenho eu encontrado bastante e mesmo assim acredito que me mantenho uma boa pessoa. Sou amigo, sou uma pessoa integra e com princípios, sou honesto e compreensivo e a cima de tudo, sou feliz como sou. Sou feliz por não andar a brincar com os sentimentos de outras pessoas… é pedir muito? Que me deixem ser feliz com a pessoa que eu gostar? O que interessa o sexo dela?
Posso ter colocado muitas perguntas, mas de uma coisa tenho a certeza, não vou abdicar da minha felicidade e fazer uma outra pessoa infeliz só para manter as aparências e para não ser apontado! Gosto de mim, já me aceitei como sou, e só quero seguir o meu caminho sendo feliz…

23 comentários:

Vimy disse...

Desejo de coração que sejas muito muito feliz!!!!
Infelizmente vivemos numa sociedade demasiado fechada, demasiado hipócrita ... e por muito que se diga que a sociedade está a evoluir, é mentira !!! evolui dentro daquele casulo, dentro dos parâmetros que estão impostos e ditos normais para eles ...
dentro do que me é possível entendo o que se passa contigo, toda a tua angustia, toda a tua dor, passeia-a bem perto com uma pessoa muito importante para mim, talvez das pessoas mais importantes e especiais que conheço ...
não andes para trás, se chegaste ao ponto de contar, de partilhar, tenho a certeza que foi muito ponderado, questionado ... o tempo ajuda, ela vai perceber que não deixas de ser o mesmo, os vários casos que conheço até é bem o contrário, pois acabam por ficar mais próximos, mais amigos, mais confidentes ...
beijinho grande e areja essa alma e esse coração nestes dias ...

Olá!! disse...

Imagino a quantidade de coisas que estejam a "rodar" na cabeça da tua mãe... não é fácil para uma mãe hetero aceitar a situação.
Falar com ela foi a melhor coisa que podias ter feito, nada como assumir aquilo que somos e queremos com verdade e frontalidade.
Espero que esta pausa em Lisboa te faça bem e não seja uma fuga...
Não te esqueças que tens de estar no Porto no dia 28 :))
Parabéns meu querido Psi.
Beijo grande

Kapitão Kaus disse...

Foi um acto de coragem, sem dúvida.
Que sejas feliz e que faças os outros (família incluída) também felizes:) E não penses muito no assunto. Vive a vida:)

Abraço:)

The Unfurry Swear Bear disse...

Quando disse á minha mãe aconteceu mais ou menos o mesmo, e tenho medo de não te poder dar boas noticias mas no meu caso, ela continua com esperança que vá mudar... mesmo sabendo ela que estou numa relação há muito tempo... por outro lado deixei de me preocupar com isso, falo lhe na mesma dos meus namorados com esperança que ela se habitue. Continuo com esperança mas continuo a ver o olhar de confusão quando me pergunta quem era aquele homem com quem estava a falar (um grande bear, peludo e barrigudo) e respondo que era um ex-namorado... (tudo bem podia não ter dito a verdade, mas nesse caso para que valeu eu contar-lhe...)
Não sei se a minha mãe tem cura... a minha homosexualidade não tem cura de certeza, não sendo uma doença. Ela continua a amar-me... mas...
Desculpa, não era minha intensão desanimar-te com a minha história, mas comecei a escrever, e foi o que saiu... Espero que com a tua corra melhor.
Continuo a achar que foi a melhor opção contar-lhe, mas não é o mar de rosas que por vezes idealizamos..

mik@ disse...

olá psi
eu gosto muito de ti como és :) gosto da tua pessoa, da tua maneira de ser e de estar. do que conheci até agora nao tenho nada a apontar muito pelo contrario :)
espero que tenhas uma boa estadia por lisboa e que a psicologa ajude a melhorar a relaçao com a tua mãe.
eu tou por aqui se precisares de um sorriso :))))))) ou de um abraço
beijinho grande

p.s. dia 28 vai haver party de novo sim?! quero ver se vou :)

X disse...

O que fizeste não foi nada fácil mas foi o correcto. Pode ser penoso no início, para a tua mãe mas depois de algum tempo a vossa relação sairá reforçada e será mais verdadeira. Admiro-te muito pela atitude que tomaste e por seres uma pessoa verdadeira. Um grande abraço!

disse...

Psi, parabéns pela coragem. São decisões difíceis e, portanto, há que estar preparado para todos os cenários. Todavia, acredito que, ao contrário dos pais, as mães têm um mecanismo qualquer que faz com que estas coisas não sejam totalmente surpresa. Há que ultrapassar os sistemas de defesa gerados pela sociedade. Um abraço e parabéns!

RbyR disse...

Olá
Poderia dizer que percebo o que sentiste mas isso seria fácil demais, e talvez até pouco sentido! A verdade é que não sei. Não sei porque nunca contei à minha. Acho que ela o sabe, acho que não me quer ouvir dize-lo! Mas um dia vai ter que o ouvir. gostava muito de estar preparado, estou me preparando para isso.
A todas as pessoas que contei, sempre me preparei previamente. Tentei m preparar para algo que corresse mal. Fui dizendo aos meus amigos. Todos aceitaram fantasticamente. O meu medo aumentava a cada um que contei porque cada vez mais me sentia menos preparado para uma reacção negativa. Um dia disse-o ao meu irmão. Acredita, a dor (sim, dor!) que ele transpareceu foi brutal...a palavra utilizada por ele foi: Terramoto! Foi-o de facto para ele. Foram-se os planos de férias a dois casais, foram-se as reunioes de irmaos e cunhadas, foi-se o estereótipo da familia feliz.
Como deves já imaginar foi meia hora que falou sem parar. Parou qd lhe disse: Não te estou a perguntar ou desbafar, estou sim a comunicar-te aquilo que sou! Aí percebeu que eu sou assim. O irmão uma hora antes é o irmão de uma hora depois.
Posso te dizer que foi das dores maiores que tive. Não por me sentir culpado, arrependido ou mal por ser e querer viver aquilo que sou. Dor apenas por ter visto a dor nos olhos de quem mt amo!
E a verdade, é que esse amor soube contornar as coisas. Ao fim de aproximadamente 3h tb de conversa ouvi de sua boca as seguintes palavras: Vou aceitar, e vou tentar compreender...vou me esforçar por comprender...simplesmente porque gosto demasiado de ti!
Isto caro blogger é que é importante. O amor que tem por ti fará com que ela tenha esses esforço. Se o aceitará ou compreenderá...bem, isso cada um é como cada qual. Mas acredita que fará esse esforço!
Hoje se me perguntarem: estavas preparado? Não não estava. Mas sabia que tinha de ser. A hora tinha chegado. >Só para terminar...aí pude ver se as pessoas gostam de mim ou não...o meu irmao por aquela simples frase...e os meus amigos que em primeiro lugar me perguntaram como tinha conseguido sobreviver estes anos toda numa sociedade claustrofóbica. Deram-me os parabéns! Sobrevivi. E neste momento Vivo.
Para ti amigo...força...aquele abraço..e acredita que o sentimento ainda é das coisas mais fortes do mundo!

Algbiboy disse...

Sim, sei o que sentiste e o que estás a sentir, mas também não tenho pena, porque pena têm as galinhas, mas eu fui a triplicar, pai, mãe e irmão (mais velho, infelizmente)... Cortei o mal pela raiz... foi dificil sim, principlamente ver o meu pai chorar, mas foi uma questão de 2 meses até que se habituaram à ideia... Hoje gostam do meu amor e aceitam-no muito bem... A vida tem destas coisas e muda as pessoas... Fizeste muito bem e tenho pena que as outras pessoas também não o façam, acho isso cobardia... Não temos que ter medo da reacção, pois pais que amam os filhos, podem barafustar no inicio, mas depois continuam a amar ainda mais... pais que não aceitam só há uma coisa a fazer, abandoná-los, porque no fundo não nos merecem...
Foste forte e dou-te os parabens por isso, agora dá tempo ao tempo e vais ver que em breve é a tua mãe que te vai arranjar namorados... e vai paparicá-los, questão de tempo apenas...
Abração grande, gostei do espaço
Miguel

Vimy disse...

rbyr: gostei muito de te ler, desejo-te tudo de bom na vida e que tudo aquilo que anseias e desejas, o consigas ...
infelizmente a nossa sociedade é assim, mas é bom sentirmos que as pessoas que amamos se esforçam e não nos viram as costas ...
não te conheço, mas deixo-te um beijinho e um abracinho apertado pela coragem e pela força que mostras emanar ...

Anita :) disse...

meu querido psi...fico feliz por ver que decidiste falar com a tua mãe...dá tempo ao tempo...é normal que fiques triste com a reacção dela mas, com certeza que é uma questão de tempo...
e, sabes que podes contar comigo para o que precisares:) nem que seja para partilhar um xicolatinho;)

um beijinho do tamanho do mundo para ti trenguitolindo,)

vsuzano disse...

se tivesse um filho assim, também me seria um bocado dificil de aceitar, mas filho e filho.... e lá acabaria por aceitar.... hehehehe


abraço e boa semana

vsuzano disse...

de resto nada contra, cada qual é como nasce e mais nada !!!!

ψ Psimento ψ disse...

Antes de mais muito Obrigado a todos os que aqui vieram provar que ainda há esperança para esta sociedade :p. Muito obrigado pelo vosso apoio :)

Vimy: O preconceito sempre existirá, faz parte de qualquer sociedade, o que é pena…. O rbyr é mesmo assim um rapaz cheio de qualidades XD

Olá: Não foi uma fuga, foi o respirar fundo antes de suster a respiração para aguentar este longo mergulho que me aguarda até ao inicio de Julho.

Kapitão kaus: É tudo o que desejo… o tempo trará a felicidade. Espero…

Unfurry swear bear: Espero que a minha se habitue, embora esteja a ser difícil, se não éramos próximos, agora sim estamos verdadeiramente distantes.

Mik@: Também gosto muito de ti e já tenho saudades, espero voltar a ver-te dia 28 para irmos juntos á festança!! XD

X: Espero que tenhas razão, sinceramente. Pois mas ser verdadeiro fere mais que uma mentira ás vezes!!..

Zé: Acredita para a minha foi uma graaaande surpresa… eu também esperava que ela já suspeitasse, mas quando olhei para os olhos dela apercebi-me da bomba que lhe caiu em cima…

Rbyr: Trenguito muito obrigado pelo comentário. Gostei muito! Já sabia dessa tua historia mas fico contente por a teres partilhado aqui no meu cantinho! Muito obrigado também por todo o teu apoio ao longo desta fase :)

Algbiboy: Sabes não me parece que seja cobardia, acho que é algo que cada um so partilha se quiser, é algo pessoal que ninguém é obrigado a contar. Tem de ser algo pensado e reflectido

Anita: Um chocolatinho vinha a calhar para animar ehehheh. Temos mesmo de combinar qualquer coisa. Um cafésito por exemplo. :)

Vsuzano: sim mas quando pensares na dificuldade que o teu filho teria para se aceitar a si próprio verias que não é nada parecido com aquilo que terias de fazer para o aceitares a ele!

Vimy disse...

sei que não me conheces, mas o teu post acompanhou-me nestes dias de ausência e supostamente de férias, apesar de não ter dado para descansar nada lol rambóia a mais lol ... rumei às terras de sua magestade e muitas das vezes dava por mim a pensar nas tuas palavras à medida que passava por casais de namorados abraçados, de mão dada e até aos beijos ... os meus pais estavam comigo, pessoas de alguma idade e dei por mim a perguntar se os chocava e responderam-me, actualmente não, mas sabemos que se fosse um filho nosso teríamos de passar por um processo de encaixe ... talvez a tua mãe precise desse tempo, e o tempo de cada ser humano é diferente do seu semelhante ...
tem paciência, sei que não é fácil, a dor é imensa e essa distância agora mais distante não te está a ajudar em nada, mas pensa uma coisa de cada vez, pode ser que ajude, não mereces esse turbilhão ...
agora lembrei-me quando vou no carro com um amigo e em tom de brincadeira ele me diz: - olha!aquele fica para ti! mas este é meu!!!!
desejo que acalmes esse coração e essa alma ...
beijinho grande e tem um bom dia ...

Carla disse...

Boa noite!
Fizeste bem em teres contado à tua mãe. Com o tempo vai acabar por te compreender.

ψ Psimento ψ disse...

Vimy: É sempre muito bom saber que as nossas vivencias fazem reflectir e questionar estes preconceitos :) Muito obrigado pelas tuas palavras foram sem duvida muito importantes… Somos uma gota no oceano mas temos de fazer por mudar a corrente :)

Carla: Espero que sim, sinceramente espero que sim até agora não reparei numa mudança significativa!

Graduated Fool disse...

Assino por baixo do que escreveu o X. Ela poderá nunca compreender, mas vai acabar por aceitar. E a dor, essa, será cada vez menor.
Acredita nisso. Foi um choque, mas um choque que vai assentar poeira.
Tem calma.

ψ Psimento ψ disse...

Obrigado Graduated Fool… as coisas já vão mais calmas por cá, mas o desconforto ainda é muito… a ver vamos o que se vais passar!

mjf disse...

Olá!
És uma pessoa de coragem...e isso ninguem te tira!!!!

Beijocas e faz favor de ser feliz
Bom fim de semana

Manuel Damas disse...

Foi um acto de coragem...necessário, desnecessário, não interessa! Quiseste tê-lo e tiveste-o.
A culpa não é tua.
A culpa é de uma sociedade que em vez de olhar para os Afectos olha para as orientações.
A culpa é que ainda não entrámos, em Portugal, infelizmente, ma era do direito direito à indiferença, que será uma prova de evolução, muito mais do que no direito à diferença.
Um abraço Psimento e se precisares de conversar...tenho feito umas coisitas na área...:)))).

Paulo disse...

rapaz, grande coragem a tua! parabéns! de facto, acho que pai nenhum está preparado para tal confissão. é compreensível que queira que mudes, faz parte do processo que, entretanto, já tenha evoluído positivamente.
Tens uma vontade firme e isso é muito importante: ser feliz. Doravante, continua a ser feliz!
Um abraço

AllenGirll disse...

Não é fácil viver nesta vida injusta e ingrata. E são pessoas como tu que fazem a diferença, que fazem com que valha a pena lutar, seguir em frente. Lutar pelo amor, pela felicidade e pela verdade. Continua um lutador e vencerás.
Conta com o meu apoio.

(Só agora li o teu texto..Ando ausente, sem vontade de blog...Talvez volte um dia destes.)

Beijo sincero*