quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

As Verdades sobre o VIH/SIDA

No post anterior coloquei 10 afirmações sobre o VIH/SIDA e pedi para identificarem as 5 verdades e os 5 mitos. Fiquei satisfeito por saber que todos acertaram pelo menos na maioria das respostas. Mas aqui seguem as justificações:

1 – O VIH pode ser transmitido pelos mosquitos. FALSO - Os mosquitos transmitem doenças (como a malária) através da sua própria saliva. O sangue que sugam de uma de pessoa nunca volta a ser injectado noutra pessoa e o vírus HIV morre facilmente quando é retirado do interior do organismo humano.

2 – Um homem seropositivo só transmite o vírus se ejacular na/o parceira/o. FALSO - Pode transmitir através do sangue, pode transmitir através do ânus no caso de ter relações homossexuais. ALÉM DISSO, o pénis em estado de excitação liberta sempre uma pequena quantidade de liquido (o liquido seminal) que contem vírus suficiente para infectar o/a parceiro/a.

3 – Numa relação heterossexual o VIH transmite-se mais facilmente de homem para mulher do que de mulher para homem. VERDADEIRO - A vagina é um órgão interno como tal o vírus que ficar no seu interior não vai entrar em contacto com o ar e morrer. Além disso a concentração de vírus presente no esperma é muito superior à que está presente nos fluidos vaginais. CONTUDO, no mundo existem mais homens infectados do que mulheres e esta informação é puramente informativa. O vírus passa também da mulher para o homem sem grandes problemas.

4 – O sexo oral não transmite o VIH. FALSO - O sexo oral é considerado mais seguro do que o sexo anal e o sexo vaginal no que toca à transmissão do VIH mas não é isento de risco. Que o digam todos os que lamentavelmente foram infectados desta forma. Além disso existem diversas outras infecções sexualmente transmissíveis que se podem contrair através desta prática sexual.

5 – Uma pessoa seropositiva não tem obrigatoriamente SIDA. VERDADEIRO - Ser seropositivo/a significa que se está infectado/a com o VIH. A SIDA é a doença causada por esse vírus mas só aparece alguns anos depois da pessoa ser infectada.

6 - Uma grávida seropositiva não transmite obrigatoriamente o vírus para o/a filho/a. VERDADEIRO - Felizmente, nos dias de hoje em Portugal, se uma grávida seropositiva seguir à regra as indicações médicas e tomar escrupulosamente a medicação receitada, a probabilidade de ter um filho saudável é superior a 96%. Depois não poderá também amamentar a criança já que o vírus também está presente no leite materno.

7 – A África é o continente mais afectado pelo VIH/SIDA. VERDADEIRO - A elevada pobreza e a baixa instrução em muito tem contribuído para esta realidade.

8 – Duas pessoas seropositivas já não têm necessidade de usar preservativo ao terem relações sexuais uma com a outra. FALSO - O VIH não é um vírus único, existem vários tipos e uma mesma pessoa pode ser infectada várias vezes, o que em muito agrava a sua situação clínica. Além disso existem muitas outras infecções sexualmente transmissíveis igualmente preocupantes.

9 – Depois de se ter uma situação de risco, como por exemplo uma relação sexual desprotegida, deve-se ir efectuar o teste do VIH/SIDA com a máxima brevidade. FALSO - Depois de uma situação de risco deve-se esperar 3 meses para se ir fazer o teste. Antes disso o vírus ainda não teve tempo de se adaptar ao organismo e existe uma elevada probabilidade do teste dar negativo mesmo que a pessoa esteja infectada.

10 – Actualmente a percentagem de novos casos de VIH é muito menor na população homossexual do que na população heterossexual. VERDADEIRO - A comunidade homossexual já foi no passado a mais afectada mas desde então tem estado muito atenta a esta problemática e tem, regra geral, tomado precauções para se proteger. Já a comunidade heterossexual tem vindo a desvalorizar esta infecção e muitos ainda acreditam que é um problema de gays, prostitutas e toxicodependentes...
Em Portugal a situação actual é esta:
9% dos casos por transmissão homossexual.
34% dos casos por transmissão entre toxicodependentes.
44% dos casos por transmissão heterossexual.
13% outras formas de transmissão (mãe para filho/acidentes e cortes com material infectado/ transfusões sanguíneas antigas)

17 comentários:

pinguim disse...

Só acertei três, que vergonha...

ψ Psimento ψ disse...

Mais do que por as pessoas a "jogar" o meu objectivo era fazer mais um alerta para esta realidade. :)

Loot disse...

Ah o pleno :)

Também era o mínimo tendo tido uma cadeira de virologia na faculdade :P

Meia Noite e Um Quarto disse...

fiquei "satisfeito" com os números na questão que errei...a consciencialização tem sido boa.
Não sabia da questão dos dois seropositivos ainda assim terem que usar preservativo, e no entanto faz todo o sentido.
Não estou assim tão mal pelos vistos...

paulofski disse...

Uma grande parte dos 44% de casos por transmissão heterossexual, estão indivíduos de grupos etários acima dos 55, 65 anos, quase sempre homens que recorrem à prostituição.

ψ Psimento ψ disse...

Sim há uma persentagem elevada desses casos e frequentemente casados. Contudo a grande maioria desses 44% são jovens.

Teté disse...

Bom, não fiz o teste, mas ao ler as perguntas e respostas, acertava em pelo menos 80%. As que me suscitariam duvidas seriam a 8 e a 9, mas agora já fiquei informada! :)

Beijocas!

um coelho disse...

Acho que acertava em todas (algumas dúvidas na última), mas parabéns pela iniciativa, não podia estar mais de acordo com o comentário do Theo no post anterior.

Luís V disse...

Errei duas...
Em relação à 9 "Depois de uma situação de risco deve-se esperar 3 meses para se ir fazer o teste. Antes disso o vírus ainda não teve tempo de se adaptar ao organismo e existe uma elevada probabilidade do teste dar negativo mesmo que a pessoa esteja infectada." o tempo de janela não foi já reduzido para 1 mês? Ou seja, com as novas técnicas que existem, como por exemplo, o resultado do teste no momento e através de picada no dedo, julgava que o período janela tivesse em apenas 1 mês...

ψ Psimento ψ disse...

Isso são informações que não deviam passar para o público pois muitas vezes as pessoas usam a informação de forma errada de acordo com a sua própria interpretação dos factos... A verdade é que os testes de agora tem uma alta sensibilidade e identificam de facto o vírus após um mês na grande maioria das pessoas. MAS, excepções existem e como tal oficialmente pede-se que as pessoas esperem 3 meses.

Luís V disse...

Em que situações se deve ir ao Hospital para recorrer da PPE (Profilaxia Pós Exposição)?

ψ Psimento ψ disse...

No caso de uma pessoa (normalmente um profissional de saúde) ter-se picado ou cortado com um material que apresentava sangue possivelmente infectado. Ou no caso de por exemplo um preservativo ter rebentado e a outra pessoa ser seropositiva. De qualquer modo os médicos têm sempre a última palavra. Estes são medicamentos caros e com severos efeitos secundários e ainda por cima mesmo que a pessoa os tome nada garante que não fique infectada na mesma. Estes medicamentos só são dados a alguém em situações muito especificas e quando se verifica um elevado risco de infecção...

Luís V disse...

Esclarecido. Obrigado Psi.

Loot disse...

Já agora em relação às picadas de mosquito sei que é considerado um mito e as razões que providencias são válidas.

porém, imagina duas pessoas lado a lado. Uma delas é seropositiva, o insecto pica o seropositivo e logo de seguida pica o outro.

Não haverá nesta situação uma probabilidade (tipo 0,000000001%) de o vírus se transmitir?

ψ Psimento ψ disse...

Não me parece na medida em que o sangue que o mosquito suga de uma pessoa infectada nunca vai injectado numa outa pessoa. O mosquito não vomita sangue ehehhe

Loot disse...

Eu sei, seriam resquícios que ficariam na ponta e entrariam em contacto com o organismo da 2º pessoa, muito brevemente porque ele sugaria logo o sangue. A quantidade seria mesmo mínima.

Speedy the Turtle disse...

bom post Psi. Já agora, falhei a 9ª pergunta. Desconhecia, sou sincero. abraço forte