domingo, 25 de abril de 2010

Eyes Wide Open



A 7ª arte é sem duvida uma das minhas grandes paixões e em casa ou no cinema vejo uma grande quantidade de filmes. Como tal frequentemente abordo aqui alguns. Hoje assisti a um dos filmes que competiu no festival de Cannes de 2009. "Eyes Wide Open" é um filme Israelita que nos conta a historia de Aaron, homem de Jerusalém, casado e pai de 4 filhos que herda um talho após o falecimento do seu próprio pai. É neste contesto que Aaron conhece Ezri um jovem estudante que contrata como ajudante no estabelecimento.
Tudo parece perfeitamente usual até que pouco a pouco os dois homens se começam a tornar mais próximos. A sociedade começado a aperceber-se de que algo de estranho se passa começa a tornar-se numa força implacável.
Aaron terá de decidir se pela primeira vez na vida vai ser fiel aos seus sentimentos arriscando perder e deixar em desgraça a sua família e a sua honra. Um filme impressionante numa cultura que eu pessoalmente não conheço muito bem mas que nitidamente reprime a vontade pessoal e que se torna extremamente opressora.
Por outro lado a situação não é assim tão extraordinária. Não sejamos ingénuos. Se em Portugal existem centenas de homens e mulheres que desistiram da sua própria felicidade para seguir as normas sociais e familiares de criar uma família com o sexo oposto quantos não existirão em culturas mais repressoras?…

6 comentários:

Theo.. disse...

Realmente milhares de pessoas devem viver oprimidas e infelizes por nao assumirem o que realmente são. Sobre a cultura israelita também não sei grande coisa, sei que Tel Aviv tem tornado.se cada vez mais um destino gay, e ao que parece é muito aberta a isso. Temos que ir pra lah assim que pudermos mor :D

Angelo disse...

O filme parece mesmo interessante. Mas é preciso não esquecer que o judaísmo ortodoxo também não é pêra doce!

E obrigado pelo apoio para amanhã! Ainda nem sei o que vou vestir!

Teté disse...

Bom, se a homossexualidade é reprimida em tantas sociedades ditas civilizadas, imagina nas outras. Pior, imagina o que passam as mulheres nessas sociedades, que nem direito a mostrar a cara têm...

Enfim, o mundo devia aprender a ser mais tolerante e menos preconceituoso.

Beijocas!

Gonçalo disse...

Olá, já tinha visto o trailer e o poster e fiquei com imensa vontade de o ver - onde é que viste o filme?

pinguim disse...

Eu tenho o filme aqui para ver.
Estou curioso e daí o ter sacado...
Abraço.

So disse...

nunca ouvi falar do filme, mas tu nas ultimas frases dizes tudo... se em países como o nosso, que apesar de tudo vai começando a mudar, as pessoas desistem de ser felizes por inúmeras razoes, em países cujo peso social eh tão importante como é o caso é muito mais propicio a que isso aconteça. Quero muito ver o outro que me falaste embora ja saiba que eh horrível
beijinho **