segunda-feira, 22 de março de 2010

4 & 1 Quarto


Este foi o último livro que li. Através das palavras de Rita Ferro conhecemos Teresa e Nuno, um casal que a determinado momento decidiu juntar ao seu relacionamento um homem e uma mulher, Inácio e Carlota. A partir daqui estão lançados os dados para uma longa jornada psicológica para todos os personagens. Os conflitos e a intrigas começam a formar-se quando, de um modo ou de outro, todos os personagens centram em Nuno os seus desejos e emoções.
O livro não é de todo uma perda de tempo e permite-nos uma análise muito interessante de personagens muito complexos. Durante a leitura somos também convidados a tomar partido de determinada personagem em detrimento de outras o que conforme o livro avança se torna completamente complicado.
Apesar dos pontos fortes, e de eu aconselhar a leitura do mesmo, existem do meu ponto de vista, diversas falhas. A autora apesar de em nenhum momento me ter parecido querer expressar homofobia acaba por nos fazer entender que nunca teve uma visão próxima da temática e retrata os assuntos de uma forma muito cruel e fria. O final da história deixa-nos desiludidos.
Senti também uma extrema dificuldade em criar qualquer afinidade com os personagens e achei muitas das suas atitudes extremamente incoerentes. Quando chegamos ao final ficamos a detestar cada um deles.

Teresa: Pode considerar-se a personagem principal. Começa por ser a “vitima insossa” depois torna-se na vilã e acaba novamente como vitima.

Nuno: O grande manipulador de todo o desenrolar da história e foco principal de desejo das restantes três. Acaba por se relacionar com todos com o objectivo egocêntrico de encontrar as suas respostas não se preocupando muito com o que causa aos restantes personagens.

Inácio: Pode-se considerar o personagem “homossexual”. Tem relações sexuais com os restantes três mas o seu foco é Nuno. É o campónio, o ridicularizado e o tresloucado a quem tudo corre mal. A autora decidiu de alguma forma tornar Inácio na personagem “tipo” dos homossexuais… Deixou muito a desejar com todos os seus clichés.

Carlota: Acaba por ser a minha personagem preferida. É uma mulher perdida no mundo sem nada mas que tenta constantemente manter as aparências. Acaba por alcançar uma profundidade e uma procura pela redenção que falta aos outros personagens.



O livro não é caro e tenho a certeza que ninguém ficará indiferente.

5 comentários:

Theo.. disse...

É pena, eu estava a apostar neste livro, já que estavas a meio quando estavas cá, enfim as vezes os autores nos desiludem ou esperamos demais de um livro, mas é realmente pena se ele tente a homofobia é mais, é revoltante que isso ainda aconteça, enquanto isso tentemos nós melhorar essa situação por menos que seja nossa atitude. Voltando ao livro não sei se o lerei, não por estar revoltado com a autora até pq devem existir outros muito mais homofóbicos, porém este não me chama grande atenção e por tu já teres lido e contado, perdi o interesse. AMO-TE :D

ψ Psimento ψ disse...

Não contei nada de importante para o final fica descançado e a autora não é nada homofóbica. Simplesmente na minha opinião não lidou com o tema da melhor maneira. ;)

MJ disse...

Hmmmm mas que grande complicação de relação...será esse o futuro? lol
Beijinho

k disse...

Boas Psi,
Quando tiver tempo a ver se o leio.
Tenho aqui uns livros e não tenho vontade de os ler. É só preguiça.
Cumprimentos

pinguim disse...

Uma boa sugestão...