quinta-feira, 18 de março de 2010

Comer no Metro...

Uma das muitas razões que me motivou a seguir o ramo da psicologia foi uma ânsia em conseguir um vislumbre dos pensamentos, atitudes e valores das pessoas, através da observação do seu comportamento, aparência e expressão corporal. Acredito que estes conceitos estão intimamente relacionados e que quando se conseguir estar atento a todos os detalhes consegue-se chegar a um conhecimento relativamente profundo da psique de qualquer ser humano. Mas já estou a divagar…
O que me motivou a criar a este “post” é um comportamento que observo regularmente nas pessoas e que de certo modo me intriga. Todos nós, com certeza, já tivemos o prazer ou o infortúnio (dependendo da opinião de cada um), de partilharmos o mesmo espaço físico, num determinado momento, com um daqueles casais que não conseguem tirar a língua de dentro da boca do parceiro(a) por mais de 5 segundos…
Pois eu, todos os dias às 8 da manha, tenho o “prazer” de fazer uma viagem de metro com dois desses curiosos espécimes. Hoje por mero acaso, calhei de entrar no metro e no meio da multidão acabei por me colocar bem esmagadinho num sítio perto do vidro onde os dois pombinhos sempre se instalam vindos de uma qualquer estação anterior. A interacção dos dois não dá para passar despercebida porque, não é daquelas que normativamente se vê com uns beijinhos cúmplices, sorrisinhos e mãos que se tocam. Não, é muito mais hardcore. E eu pude observar o comportamento dos outros passageiros que como eu tentavam evitar olhar. Sim, porque entre todo aquele chalhak muaahah lhehhek nhek nhek lhehehuuuup que se ouvia, sempre que meus olhos se cruzavam com a cena e eu via nitidamente duas línguas a cruzarem-se e a lamberem-se fora da boca dos donos, o meu chocapic tentava voltar à luz do dia…
Temos também de reparar que a situação só é relevante tendo em conta o contexto. Num local privado não seria obviamente motivo de qualquer interesse ou explicação.
Ora bem, cada um é livre de fazer o que quiser e eu não estou aqui para julgar ninguém nem para dar a minha opinião. A minha intenção é tentar decifrar o que se esconde por trás tentando não cair na presunção de dar uma resposta como sendo senhor de toda a verdade, mas gerando pelo menos algumas teorias explicativas…
A resposta deixarei ao critério de cada um pelo menos até eu efectuar um estudo com o mínimo de teor científico. ;)

Hipóteses:
1 – O Amor é tão grande que estes casais tentam literalmente consumir-se um ao outro para apagar o fogo da paixão seja onde for.

2 – Uma forma de carácter perfeitamente normativo de expressarem o amor que sentem um pelo outro.

3 – É um assunto sem qualquer interesse que nem vale a pena ser explorado e só o Psimento se lembraria de tal coisa.

4 – Um pequeno mas já presente sinal de uma ânsia por exibicionismo sexual.

4 – Tentam simplesmente acordar o pessoal que vai para o trabalho com uma terapia de choque matinal.

5 – Uma nova e até então desconhecida forma de lavar os dentes depois do pequeno almoço….

7 comentários:

MJ disse...

LOLOLOL Fartei-me de rir com as hipóteses... MAs talvez vá para a primeira, pois...tal como tu, também eu não sou de julgar ninguém e é preferível ficar feliz porque alguém, aparentemente, se sente feliz e não tem receio de o demonstrar seja onde e quando for.. :)

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Gosto de te ver por lá. OBg.

Sobre o teu post, antes de mais está giro, bem montado com descrições hilarianmtes como os M&m's mas do ponto de vista em que tentas analisar nao chegraás jamais a qualquer conclousão. Todavia, do que podemos especular, a hipotese 4 seria boa se fossem pagos, eh eh ou seja, terapia matinal de choque, mas penso que será mais a hipotese 1) com a ressalva de nao ser amor. NO amor ja nao sao necessarias estas manifestaçoes de afecto público e muitom menos de um para o outro. É a paixão, tout court. E ate tenho uma teoria: de que se devem ver pouco, muito pouco, que pode ate ser um amor proibido, quiçá, e que quando se encontram ... lá vao os m&m's ;)

Um abraço...

Theo.. disse...

E eu pensando que seria um post gastronômico, o que no fim das contas tmb pode ser considerado :P Realmente logo pela manhã o amor deve ser mesmo imenso mas aposto na alternativa 4 (a primeira 4). Bjos morzito (sei que vais xingar-me por ter sido um comentário pobrezito)

So disse...

tu queres que eu venha aqui comentar isto mas eu nem sei o que dizer... faz.me imensa confusão este tipo de coisas... eu sei que os adolescentes tem aquela noção de que o mundo eh deles e nao sei mais o que, mas era mt escusado pessoas como nós que fazem a sua vidinha pacata terem que assistir a isso. uma vez também ia no metro e nem conseguia entender qual era a perna de um e a do outro e com os braços a mesma historia de tal maneira que os meninos estavam interligados. eu nao ando muito de metro, mas também dou uns beijinhos em publico, mas há beijos e beijos, e há coisas que deviam ser feitas num lugar reservado... acho que ate para as próprias pessoas as coisas vão perdendo significado, perdem aquele clima tão próprio e agradável que eh namorar sozinhos... passa a ser tudo em qualquer lado... enfim, também pensava que ias falar de comida propriamente dita lol. e quanto as tuas hipóteses eu aposto no 4, no primeiro como diz o theo lol =) a adolescência e as suas hormonas "assassinas" devia haver um filme.
sabe tão bem dar aqueles beijinhos inocentes em publico e deixar as outras questões para depois que esses meninos não imaginam.

pinguim disse...

Estou absolutamente convencido que é a quarta razão...

TheMenBehindTheCurtain disse...

Ahahah!

Ora um pensamento interessante. Revendo um evento recente onde encontrei um casal com comportamento semelhante em frente de uma casa de banho pública, e falhando redondamente em encontrar o romantismo na cena, cada vez inclino-me para a 4ª opção (a primeira).

Abraços

ψ Psimento ψ disse...

De salientar que só agora reparei que ha duas 4 lol ;)