quinta-feira, 26 de maio de 2011

Mais uma moedinha, mais uma voltinha...

Voto porque acredito que muitas pessoas morreram e sofreram no passado para que eu hoje tivesse este direito. Voto porque acredito que há muita gente a queixar-se da nossa situação política mas simplesmente nada faz para a mudar, nomeadamente ir votar. Voto, consciente de que quem quer que governe, não vai por artes mágicas salvar o país e como tal, voto sempre naquele que considero ser o menor de dois males (“dois” como quem diz o numero de candidatos que forem).
Mas neste momento estou completamente indeciso… Todos os candidatos me dão uma certa… repugnância.
Estava seriamente a considerar votar no Passos Coelho porque até simpatizava com os ideais do passado do senhor independentemente das suas cores políticas e porque acredito que está na hora de dar oportunidade “aos novos”. Contudo, recentemente soube que ele pretende rever a lei da interrupção voluntaria da gravidez e como estava a comer, na altura, engasguei-me…
Quer dizer, estamos finalmente no caminho da evolução relativamente às questões sociais, de um pais do “Primeiro Mundo” de um pais “Desenvolvido” e agora vamos novamente andar às cambalhotas com um assunto que já deveria estar mais que resolvido!!!!! Mas quando é que vamos sair desta conversa?????????? Ainda admite um novo referendo??? Que RICOS que nós estamos!!!
A Proibição da Interrupção Voluntária da Gravidez é uma das MAIORES e mais BRUTAIS formas de violência contra as mulheres!!! NINGUÉM deve jamais decidir o que determinada pessoa faz com o seu corpo. E NINGUÉM, deve ser obrigado a carregar dentro de si uma vida que não pretende e que como tal vem destinada a vir ao mundo para sofrer….
Com isto, não defendo, como é claro, que o aborto seja usado como método contraceptivo, but shit happens!!! Na verdade todas as mulheres que passam pela experiencia têm apoio psicológico para tomar a sua decisão e este não é de todo um comportamento que nenhuma mulher toma de animo leve ou que repete várias vezes. Aliás os dados estatísticos apoiam isso mesmo…. A maior parte dos abortos neste momento em portugal e no Mundo são casos pontuais.
Claro que acho que deve existir uma lei que regule a situação e que imponha um limite gestativo até ao qual se pode efectuar o aborto. Mas é isso mesmo que temos….
Vai-se mexer outra vez?? Vem lei, tira lei, referenda lei, volta a por… Não sei mesmo onde vamos parar… possivelmente a um pais “subdesenvolvido” que desenvolvido não somos e dizer que estmos “em desenvolvimento” seria mentir…
Não há nada mais urgente para nos preocuparmos além daquilo com que JÁ NOS PREOCUPAMOS NO PASSADO??? E é nisso que portugal gosta de ruminar, no passado…
Somos mesmo pequeninos com p minúsculo….
Enfim, como tal não sei em quem vou votar, talvez faça um quadrado extra e vote em mim!!!

17 comentários:

Francisco disse...

“Precisamos de fazer, tal como, de resto, estava previsto, uma avaliação. Estive do lado daqueles que achavam que era preciso legalizar o aborto – não liberalizar -, porque há condições excepcionais que devem ser tidas em conta” – Pedro Passos Coelho

Uma coisa é permitir o aborto em condições que se justifiquem, outra coisa é liberalizar o aborto. É que há raparigas que simplesmente não tomam precauções e depois vão fazer um aborto (ou vários). Tomei conhecimento do caso de uma rapariga que já vai no terceiro.

Artigo do jornal i, aquando da eleição de Pedro Passos Coelho como líder do PSD:
http://www.ionline.pt/conteudo/53657-pedro-e-fixe-ou-fracturante

paulofski disse...

Partilho da tua opinião em relação à IVG. Não faz sentido algum voltar a referendar. Até parece um cavalo de batalha que interessa ao partido que se empoleire no poder. Quanto ao "deitar o boto", já aqui tive voto na matéria, e pelos vistos continuaremos a dar para este peditório. Ao menos isso porque isto aqui ainda é uma Democracia, ou não é?

ψ Psimento ψ disse...

Francisco, já tinha lido esse artigo. Aquilo que ele diz é precisamente que quer voltar a trazer à baila as questões do aborto. Só que diz com palavras mais bonitas do que as que eu escolhi…
No teu comentário ficou também esquecida a continuação do discurso do Passos Coelho, só está transcrita a primeira parte sendo que a continuação é:
“Não veria como impossível que se voltasse a realizar um referendo sobre essa matéria, mas já agora gostava que esse referendo ocorresse depois de fazer a avaliação do que foi o desenvolvimento e a aplicação prática da última lei que o Parlamento aprovou” – Pedro Passos Coelho.

Quanto ao artigo que colocaste é como eu disse, simpatizo com muitas das ideologias dele mas reacuso-me a contribuir para a eleição de alguém que na minha opinião já está a prometer remexer no passado do país em vez de o levar a avante e numa questão que considero de uma violência criminosa.

De resto deixa-me que aponte logo para uma parte do teu discurso que apesar de saber que não dizes por mal está logo a provar que a violência contra as mulheres está profundamente enraizada na nossa sociedade dita “moderna”!!!
“É que há RAPARIGAS que simplesmente não tomam precauções e depois vão fazer um aborto (ou vários).” – Francisco.

Que eu saiba, tomar precauções não é papel exclusivo da mulher, mas do homem também. É que elas ainda não fazem filhos sozinhas. Mas quando engravidam as pessoas esquecem que a criança tem pai, como é a mulher que a carrega é automaticamente tudo culpa dela…
Além do mais, escrevi claramente que era contra o uso do aborto como método contraceptivo e esse caso a que te referes, garanto-te que é um dos poucos casos pontuais.
Além disso preocupa-me mais a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis nessas pessoas do que a gravidez em si. Essas pessoas não precisam que as impeçam de interromper a gravidez mas sim de um acompanhamento psicológico maior que o estado não está disposto a pagar e que a médio prazo lhes traria uma reestruturação cognitiva mais adaptativa.
Além do mais, não vamos dramatizar. O aborto que está legalizado até as 10 semanas, nesta altura não há criança nenhuma, há um conjunto de células não mais consciente do que aquele que é eliminado pela pílula do dia seguinte…

ψ Psimento ψ disse...

Paulofski: É disso mesmo que se trata, de um assunto polémico que serve para angariar votos… O meu não é certamente.

Francisco disse...

O que eu disse não é mentira nenhuma. Há, de facto, raparigas que não tomam precauções deliberadamente e depois fazem abortos. É claro que o rapaz deve preocupar-se e tomar precauções, até pelas DST’s como referiste. Mas, em última análise, se o rapaz não quiser tomar precauções e a rapariga ainda assim quiser ter relações com ele é a ela que cabe tomar precauções. Se não tomar a pílula habitualmente deve tomar a do dia seguinte.

Por isso é que eu referi “raparigas” porque, obviamente não engravidando sozinhas, só engravidam se quiserem.

ψ Psimento ψ disse...

Desculpa Francisco mas isso que estás a dizer é o discurso típico de uma pessoa cujo crescimento foi um absorção indiscriminada dos critérios machistas que se têm vindo a impor ao longo dos anos a todas a gerações e sobre os quais é necessário o desenvolvimento de um pensamento critico urgente.
Pegando no exemplo que deste, a partir da altura que TANTO o rapaz COMO a rapariga decidiram ter relações sexuais sem contraceptivo o resultado daquela relação é da responsabilidade de AMBOS de igual forma. Quer dizer o gajo vai lá, diverte-se, faz o que tem a fazer como bem lhe apetece e vai à sua vidinha, não pensando mais no assunto. Depois ela é que sozinha tem de pensar “Ahhh se calhar vou ali comprar um pílula do dia seguinte”?? Não, desculpa mas as consequências e as obrigações são iguais para os dois! Ambos têm a mesma obrigação de medir as consequências!!

So disse...

Oh por amor da santa... também vi que ele estava a pensar fazer isso e sinceramente achei que tinha sido um momento de comédia...
Concordo plenamente contigo, parece que andamos cheios de dinheiro pra ir mexer no que está quieto e no que, estou certissima disso, iria resultar no mesmo que está.
Ninguém no seu perfeito juizo utiliza o aborto como medida contraceptiva, aquelas que não tomam protecções depois também não abortam, andam prai a ter filhos aos pontapes pra encher as instituições ou então para receberem os rendimentos... se fosse pra não engravidar utilizavam os preservativos e as pílulas e etc...e claro que é da responsabilidade de ambos fazer com que a gravidez não se desenvolva caso não tenham utilizado o método no momento da relação...muitos namorados compram a pilula do dia seguinte às namoradas quando acontecem acidentes e elas se sentem inseguras, com ou sem razão...
ainda pra mais a lei prevê que exista um aconselhamento, como disseste para que as mulheres tomem a decisão em pleno juízo... não é pra andar a brincar aos abortos...pk pra isso existem os clandestinos, e esses vão continuar a fazer-se...portanto pelo menos que alguém que tenha cabecinha e proteja que as pessoas que fazem disso negocio fiquem sem clientes...
Enfim...não há discussão sker...

Anónimo disse...

Neste momento só me preocupa uma coisa... Quanto homens irão pensar da mesma forma que o Francisco?

Parece-me óbvio que não... não é só a mulher que decide consentir a relação sem precauções, cabe também ao homem pensar se quer sujeitar-se a isso, porque o homem tem igualmente responsabilidade sobre tal! É no mínimo "chato" ser só a mulher que depois da relação sexual sem protecção a ficar com a responsabilidade de se precaver. O homem não poderá também participar nisso? Ambos participaram no acto, não terá ele também responsabilidade sobre isso? O que o leva a pensar que depois de a relação sexual ter terminado já não tem responsabilidade sobre isso e que cabe a mulher cuidar disso?!...


Nélia

Teté disse...

Uma coisa podes estar certo, tanto PPC como PP, se ganharem as eleições e formarem governo, não só vão mexer nessa lei (contra a moral e os bons costumes, segundo eles), como provavelmente na dos casamentos gay (que eles igualmente não aprovam) e ainda na que permitiu acelerar o processo de divórcio (que segundo esses hipócritas, deve ser mais ponderado). Portanto, todas as boas medidas que o Sócrates tomou, vão com as couves. E lá retrocedemos nós ao passado, que ambos tanto dizem apreciar! :S

Vou votar, embora não muito convencida! Mas nestes dois, nunca!

Beijocas!

sad eyes disse...

acho até falta de inteligência trazer estes assuntos a discussão num momento destes. o homem precisa de votos da esquerda e vem dizer estas barbaridades. temos mesmo uma geração muito rasca de políticos....

um coelho disse...

A única coisa que pensei quando li as declarações dele na imprensa foi "e revogar a legalização dos casamentos entre pessoas do mesmo sexo, não?"

Kenga Madre disse...

King .. mas que se passou aqui?! .. concordo plenamente com tudo o que escreves-te e respondes-te .. isso sim é reflectir sobre o assunto e ponderar o que melhor se pode retirar dele .. agora .. deixar a responsabilidade toda em cima dos/as outros/as?! .. mas estamos em processo de evolução ou a regredir?! .. temos que arrecadar com as nossas consequências e saber lidar com elas .. a culpa (se existe) é de ambos .. a MULHER, não pode ser diminuída a este ponto .. e deve acima de tudo ser respeitada .. estou perplexa.

PARABÉNS MEU KING
KISS

Luís disse...

Okay, percebo essa de até votar no PPCoelho, mas não se pode esquecer o figurino que ele tem por detrás. Se, ao menos, ele conseguisse mandar calar as feras, ainda vá, mas elas só se calam até ao momento em que possam vir impor-nos a sua vontade fascista ou por aí. Sei (de uma entrevista da há muitos meses) que o PPCoelho até já era inteiramente a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo, desde que tivesse um outro nome. Se o PSD ganha as eleições ainda se vão lembrar também de mais um referendo. Eu acho que o ditado "diz-me com quem andas, que eu dir-te-ei quem és" faz muito sentido, tendo isto em conta. E eu estou proibido de votar em quem quer anular (ou, pelo menos, mudar o nome de) o meu casamento - a minha médica diz-me que isso me faria mal à saúde e que até poderia ser-me fatal! Eu acho que sim, que ela tem razão! :) Abc,

ψ Psimento ψ disse...

So: Enfim mesmo, e se quem faz acordos recorrentemente tivesse o apoio psicológico necessário, isto não aconteceria, mas “fica muito caro”….

Nélia: Claro, se sexo é algo que se faz junto também as consequências são para ser igualmente geridas.

Sad eyes: Mesmo, o meu voto pelo menos não apanha.

Coelho: Olha que isso que dizes está certamente na mente de muitos dos partidos… Por isso temos de pensar muito bem em quem votamos.

Kenga Madre: Obrigado, sabes que eu estou do lado das minhas gordas até ao fim ehehehhe

Luís: Essa do “ter outro nome” sempre me enjoou um bocado. Outro nome só serve para criar mais barreiras, mais isolamento social. Assim está muito bem. Vamos a ver se essas feras venenosas voltam para onde vieram.

pinguim disse...

É com tiradas destas que PPC vai perder as eleições. Com esta afirmação quer tirar votos ao CDS, de quem tem medo, realmente; mas esquece-se dos descontentes com Sócrates, mas que nunca votarão em pessoas com tiradas destas.
É um total retrocesso, e a aprovação da lei da IVG foi das maiores conquistas deste governo.
Por essas e por outras, e não por convicção, eu vou votar Sócrates.

KarenB disse...

Subscrevo inteiramente o comentário do Pinguim, inclusivamente a última parte!
E lamento que existam ainda pessoas a pensar como o Francisco... Gostei de ler as tuas respostas a respeito Psi. E não penses tanto no passado de PPC, (que a mim sinceramente não me impressiona nada, mas respeito a tua opinião), pensa antes nas medidas que esse homem tem para o país, nos seus ideiais. Vais ver que mudas de ideias!

Beijinhos

ψ Psimento ψ disse...

Pinguim e KarenB: Começo seriamente a ponderar essa hipótese. Um abraço