segunda-feira, 14 de junho de 2010

Linguagens...

O Brasil, apesar das suas raízes, é um país com uma cultura totalmente diferente da portuguesa que é muito mais tradicionalista e conservadora. Como tal, os seus quase 200 anos de história independente, fizeram com que o povo brasileiro se distanciasse imenso das convenções portuguesas. O que se reflecte de forma geral na cultura, na religião, na linguagem ou mesmo em questões de postura social e de vestuário.
Confesso que fiquei muito surpreendido pela positiva com o país estava à espera de algo menos desenvolvido, de pessoas mais agressivas e violentas o que não se verificou. Vejo-os como um povo alegre, desinibido, acolhedor e simpático apesar de ainda um pouco recalcados com Portugal, o que se reflecte nas 500 piadas (descabidas) sobre portugueses que ouvia todos os dias. Claro que as grandes cidades são perigosas mas o Brasil é tão gigantesco que é um erro generalizar.
Há apenas 3 coisas que criaram em mim umas pequenas embirrações.

1 – Não há caixas MB espalhadas pelas cidades. Temos sempre de procurar um banco para levantar dinheiro.

2 – Mosquitos. Por muito repelente que usasse continuava a ser constantemente devorado enquanto o Teo permanecia imaculado. Havia quem dissesse que era do meu sangue ser uma iguaria diferente para os mosquitos do Brasil mas eu dispensava bem ser a especiaria exótica de serviço.

3 – NINGUÉM compreende português de Portugal. Já o Teo quando chegou a Portugal pela primeira vez e as suas malas tinham sido extraviadas (típico), teve muita dificuldade em compreender a funcionária que o atendeu. E mesmo eu no inicio, via as minhas perguntas serem respondidas com um expressivo:
- Oi???

No Brasil era o caos. Ninguém compreendia um palavra minha e numa loja ou num café esperavam que eu terminasse de falar para me responderem com um sorridente:
-Oi???

E lá tinha o Teo de traduzir. Que era basicamente repetir o que eu havia dito mas com um sotaque diferente.

Lembro-me de termos abordado muito ao de leve esta situação nas aulas de Psicologia da Linguagem. Mas nunca esperei que de facto se verificasse esta dificuldade de comunicação. Contudo, tem uma certa lógica. Primeiro, nós somos bombardeados com novelas, dobragens e músicas brasileiras, enquanto eles recebem zero destes conteúdos portugueses. Depois, a nossa maneira de falar é muito mais ríspida e rápida que o português do Brasil. E por fim, nós temos o mau hábito de comer metade das letras das palavras:
Experimentem dizer para vocês a palavra “Telefone”.

Na verdade se não estivermos atentos soará algo como:
Tlfone

Já num brasileiro se assemelharia a um:
Te-lhe-fo-ni

Agora não me interpretem mal, em Portugal pode não se falar muito bem mas para vermos a gramática portuguesa a ser verdadeiramente espancada só ouvindo o discurso de um brasileiro (generalizando mais uma vez).

Para terminar e para comprovar o que disse, vou disponibilizar uma reportagem que passou no Brasil, realizada sobre uma artista brasileira a trabalhar em Portugal. O foco que eu saliento nesta reportagem é a parte em que é entrevistada uma portuguesa com um discurso perfeitamente normal mas, mesmo assim, foi-lhes necessário colocar legendas…

8 comentários:

Theo.. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
So disse...

lol lembro.me bem quando o theo chegou cá e tu passavas o tempo todo a corrigir o que ele dizia lol
engraçado como as pessoas têm necessidade de se tornar únicas, o Brasil connosco e a América com a Inglaterra por exemplo, arranjam smp uma maneira de se tornarem únicos mesmo sendo fruto de outros países. eh interessante. se bem que isso criou alguns problemas quando jogamos party company lol (primeiro que descobrisse que uma pipa a partir de um papagaio foi complicado lol =P). quando aos mosquitos nao me quero nem pronunciar se alguma vez la for levo uma daquelas redes da cabeça ate aos pezinhos =P isso do banco ja nao me importo pk se la for vou viver ah vossa custa pk gastei tudo na viagem =P lol
saudades do teu ("nosso") brasileiro =)

Theo.. disse...

Ai Jesus como eu tive medo deste post, acho que o pusseste num dia nao tao mal, achei que teríamos milhares de defeitos expostos cá :P mas pronto fiquei muito feliz, tive que achar piada de certas coisas e apesar de tudo acho que gostas de cá, são pequenas coisas que te incomodam mas isso até a mim mesmo que sou de cá, tem coisas que não suporto. Sobre aquilo de não compreender o vosso português é realmente verdade que, infelizmente, não recebemos nada de Portugal, o meu contato com o vosso idioma foi praticamente zero antes de viajar, apenas ouvi algumas vezes as rádios portuguesas pela net, a primeira vista nao me pareceu difícil mas quando tive que ficar frente-a-frente com aquela senhora no aeroporto... por pouco nao sai de lah com o olho roxo.

ψ Psimento ψ disse...

So: Isso de corrigir foi a minha estratégia de engate eheh

Theo: Quer dizer não são assim tão poucas as coisas. eu é que não quis ser chato. Nem me lembres da viagens de carro de 10 horas...

pinguim disse...

Eu nunca fui ao Brasil, apesar de aí ter vivido mais de 30 anos uma irmã minha, falecida há um ano.
O Brasil que eu quero conhecer é um Brasil, por ora inacessível para mim, em termos financeiros, pois eu quero conhecer tanto lugar, tão longe uns dos outros, do Sul lindo e de temperaturas amenas, ao Nordeste, ao interior, conhecer Manaus, por exemplo...
Assusta-me a vivência nas grandes cidades e se o Rio pela sua beleza natural é apelativo, já S.Paulo não me interessa minimamente.
A questão da língua será sempre difícil de resolver, com ou sem acordo ortográfico, mas é um mal menor.
Para mim, e como tu bem dizes, sempre com o receio de generalizar, até porque tenho excelentes relacionamentos com amig@s brasileiros, via blogosfera, é uma certa sobranceria que os brasileiros têm em relação a nós, que eles acham que somos atrasados e pacóvios, quando é talvez o contrário; tomara que a esmagadora maioria do povo brasileiro tivesse a cultura do povo português, mesmo ao nível de cultura popular.
Abraços para ti e para o Theo, com quem simpatizei muito, quando o conheci.

Angelo disse...

E ainda bem que as culturas são diferentes, que isso só nos enriquece.

Também se percebe a dificuldade na compreensão do nosso português lá no outro lado do Atlântico... Mas também vamos a Espanha e é a mesma história. sobretudo quando os entendemos bem.

Essas dos MB por todo o lado... Tu estás é mal habituado... Portugal tem MB por tudo quanto é lado! O resto do mundo não! :)

Gata Verde disse...

Eu passo por esse martirio todos os dias no meu emprego!! As brasileiras nunca nos compreendem e apresentam-se assim:
"oi, eu sou brasileira..."
a que eu tenho vontade de responder:
"a sério? ainda não tinha percebido...até falamos a mesma língua"!!!
Mas,é um país que gosto bastante e quero voltar!

bjs

Teté disse...

Por acaso não notei muito quando estive no Brasil (duas vezes) essa diferença de língua, nem que ninguém me entendesse.

No rio o que mais me chocou foi o luxo dos prédios de Ipanema e Leblon vs a miséria que se percebe de longe, nos morros cobertos de barracas... E dessa vez só estive lá 8 dias e assisti a um assalto no autocarro (ônibus)... o que me assustou um bocadinho.

Da segunda fui para outra zona, assim um paraíso tropical à beira mar, em que a grande dificuldade foi mesmo essa da bicheza. Tinha o quarto cheio de formigas de asas, e um fim de tarde que fui beber uma cerveja junto à piscina fui mordida por não sei quantos pernilongos, passei o resto do tempo a pôr Caladril nas pernas, uma das marcas ficou até hoje e isto passou-se em 1998...

Mas enfim, em havendo oportunidade, volto lá, que acho o Rio a cidade mais maravilhosa do mundo...

Beijinhos!

ps - não notei a falta dos multibancos, porque em 1982 eles cá também ainda não existiam, e lá no tal paraíso tropical não estava à espera de as encontrar... mas aí também tive uma longa viagem de camioneta para chegar ao local! :)