domingo, 6 de março de 2011

O Argumento não é Tudo...

Considero que o argumento em si, é dos factores chave para o sucesso de um filme seguido de perto pela interpretação dos actores e pela direcção.
Na minha opinião, os 3 filmes que se seguem não primam por ter “as melhores histórias do mundo” mas outros factores fizeram com que eu os achasse merecedores de serem recomendados. É que contrariamente ao que possam pensar, apesar de eu recomendar muitos filmes eles não são nem um quarto dos que vejo. Sou muito selectivo eheheh.

"A Single Man" de 2010 foi-me sugerido pela Teté apesar de já há muito o planear ver. O filme faz-nos acompanhar a vida de um professor universitário de meia-idade numa fase confusa e depressiva da sua existência após a trágica morte do seu namorado vários anos mais novo. Não acho a história em si nada de fabuloso mas Julianne Moore e Colin Firth surgem-nos numa das melhores interpretações das suas carreiras. Aliás o Colin Firth na minha opinião merecia ter ganho o Óscar com este filme no ano passado por isso, este ano, foi uma compensação mais do que justa!!
O que mais me agradou, é que o filme foi baseado num livro de Christopher Isherwood de 1964 na altura em que o actor se separou do namorado, um rapaz vários anos mais novo, como forma de lhe mostrar como seria a sua vida sem ele. Mal sabia ele o sucesso que teria e a verdade é que os dois se mantiveram juntos até à morte de Christopher em 1986. Don Bachardy, o namorado, tem actualmente 76 anos e uma reconhecida carreira como pintor.
É que durante as brigas de namorados há quem peça desculpas, com uma Sms, com um e-mail, uma carta ou mesmo pessoalmente e depois há quem escreva um livro inteiro. :)




"Poster Boy" de 2004 tem uma história relativamente básica e as interpretações também não são nada de extraordinário. O filme acompanha a história de um jovem cujo pai se está a candidatar a Presidente da Câmara usando uma estratégia plenamente homofóbica como plano de fundo e exibindo a sua família como modelo dos bons costumes. O que o candidato não sabe é que o seu único filho é na verdade um homossexual cansado de “viver no armário”. O bom do filme são os diálogos, quem escreveu o roteiro foi brilhante na minha opinião pois, adicionou no filme ideias e valores extremamente interessantes e que nos fazem pensar…



Legend of the Guardians (2010) na verdade tem uma história engraçada e personagens relativamente cativantes embora não consiga rivalizar com os filmes deste ano como o “Toy Story 3” e “Gru, O Maldisposto!”. O que me leva principalmente a menciona-lo é a pormenorizada arte com que foi concebido. Cada folha e cada rocha dos cenários ou mesmo cada pena dos personagens foi minuciosamente criada. Apesar de tudo feito a computador os pássaros parecem verdadeiros. Muitas pessoas desdenham a arte computorizada como se as máquinas fizessem tudo e esquecem que por trás de um computador tem várias pessoas e que um trabalho destes demora anos a ser criado e com muito trabalho para que tudo saia perfeito. E isso para mim, é sem sobra de dúvidas, Arte…

11 comentários:

Gatinhu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Theomentos disse...

A Single Man eu gostei, achei fixe, tanto pela actuação do elenco quanto pela história, vale a pena ver :)
Poster Boy é daqueles filmes que fica-se torcendo para que o chato do pai dele quebre mesmo a cara, que o filho expluda logo com o escândalo para acabar com a carreira hipócrita do pai.
Legend of the Guardians é um filme lindo, e como referiste a arte é mesmo muito bem feita, adorei as corujinhas, acabei por ficar com uma simpatia por elas. Tanto que revoltou-me muito o tal jogador de futebol panamenho que a meio do jogo depois da coitada da coruja levar uma bolada ainda foi lá e deu-lhe um pontapé. Devia era ele levar um pontapé daqueles e agonizar até a morte

Rafeiro Perfumado disse...

Eu gostaria de ver a Julianne Moore até a apresentar o Boletim Agrário!

Abraço!

X disse...

Sim, não é tudo, mas que ajuda, ajuda.

Teté disse...

Concordo contigo em relação ao primeiro filme: o argumento não tem nada de especial (embora também ache que é uma boa base para um filme à partida), mas as interpretações são fantásticas. E, tal como tu, também acho que Colin Firth merecia ter ganho o Oscar no ano passado. E este ano. Mas sou suspeita, porque acho que o Jeff Bridges não lhe chega aos calcanhares em versatilidade... :)

Os outros dois ainda não vi!

Beijocas!

ψ Psimento ψ disse...

Theo: Também não gostei nada dessa notícia!! Espero que esse idiota fique suspendido do futebol por muito anos!!

Rafeiro: Uma das melhores actrizes da actualidade sem dúvida.

X: Sim e é dos ingredientes principais.

Teté: Por acaso vi ontem o filme do Jeff Bridges e ele realmente está muito bem. Contudo sem dúvida que o Colin Firth merece muito mais.

pinguim disse...

O argumento, como dizes, não é tudo, mas vale muito.
O argumento, adaptado, do "Single Man" é fabuloso, como fabuloso ´r o Colin Firth (concordo com a Teté, merecia ter ganho o ano passado e este ano também).
O argumento, muito interessante, é o que distingue "The Poster Boy" de tantos tantos filmes de temática gay.
O terceiro filme...não vi (não te zangues comigo, eheheh).

um coelho disse...

Olá. O argumento não é mesmo tudo, acho que é necessário haver uma coordenação de fatores para que um filme seja, de facto, uma obra-prima. Logo por azar, destes três... não vi nenhum!

ψ Psimento ψ disse...

Pinguim: Estranhamente sempre que abordo um filme de animação tu nunca viste ehehehhe. Não me digas que também nunca viste o “Happy Feet”!! É sobre Pinguins ;)

Coelho: Falha grave!! Qualquer um dos 3 é muito bom de se ver!!

pinguim disse...

Não é estranho; não sou fã de cinema de animação, apenas...
Vi partes do Happy Feet, mas não o filme inteiro.

ψ Psimento ψ disse...

Pinguim: O dia em que vires o 1º do inicio ao fim vai ser o dia em que vais querer ver todos!!
sugiro "Up" como o 1º ;)