domingo, 10 de outubro de 2010

Um passo de cada vez...

Não sou rapaz de viver no campo, preciso da cidade. Contudo os meus pais têm uma casa em Amarante, perto da das terras dos meus avós, com uns terrenos destinados à vinicultura, algumas árvores de fruto e uma pequena floresta e gosto de ir lá de quando em vez dar uma volta e fazer uma pequena caminhada. Quando era miúdo tanto eu como os meus irmãos odiávamos perder dias de férias ou fins-de-semana a ir para lá ajudar nas vindimas ou a limpar o mato por causa dos incêndios.
Actualmente não tenho ido, a verdade é que desde que comecei a trabalhar há uns anos atrás e com a faculdade nunca mais tive grande disponibilidade para gastar um dia inteiro com esses afazeres. No entanto, ontem estava em casa e o meu pai perguntou-me se eu podia ir com ele cortar lenha para o Inverno. Achei estranho mas, como não tinha planos disse logo que sim.
A verdade é que não me importei de todo, apesar de não termos conversado muito nem sobre nada de especial foi a primeira coisa que fizemos juntos só os dois desde há uns anos quando ele soube a minha orientação sexual… já tinha passado tanto tempo que nem me lembrava de como se pegava numa motosserra. ;)

15 comentários:

Speedy disse...

é um primeiro bom passo. E coisa de "homem". toma cuidado para não cortares nada de que precises

ψ Psimento ψ disse...

Não não, deve ser como andar de bicicleta uns minutos depois e ja estava back in buisiness ;)

Cp disse...

Então foi um bom "Momento". ^_^
Abraços!

Se7e disse...

lenha???
isso vai a machado, a moda antiga... xD

abc

Gata Verde disse...

Que bom essa reaproximação!!
:D

dois coelhos disse...

Outros bons momentos virão de seguida, com certeza, tudo no seu tempo ;-)
Força! (para a lenha, eheh)

Abraço

pinguim disse...

É óptimo ver que a aceitação da tua sexualidade está realmente efectiva; é aproveitar o convívio com o teu Pai, pois só quando o perdemos é que vemos a falta que nos faz.

Theo.. disse...

Quando dissestes que ia tmb achei que seria com o machado :P Aqui usamos dizer que quando vamos fazer rachar lenha ou lascar lenha quando é com o machado, mas colocastes bem que seria cortar heheheh. É bom que se reaproximem, quem sabe de pouquinho me pouquinho... Acho que ele também não deve se sentir bem com essa situação em casa, mas prefere deixar como estar do que ter que conversar, infelizmente, mas com o tempo e com a proximidade do dia e a idéia de vires para o Brasil talvez tenha amolecido um bocadinho o coração turrão dele.

Luís disse...

Estou como o Speedy: cuidado com os golpes! Em tudo o resto, apenas isto: um sorriso!

Marco disse...

Sabes que por vezes os nossos pais precisam de espaço e tempo para interiorizar toda essa situação. Não deve de ser facil para eles de um momento para o outro verem tudo o que se calhar idealizaram caír como um castelo de cartas. Com o meu aconteceu o mesmo.

ψ Psimento ψ disse...

Olá Marco há coisas paras as quais não há desculpa. Não sei se é fácil para eles ou não e nem me interessa porque sem duvida é muito mais difícil para nós e eles não se preocupam com isso na altura. Acho que o papel de um pai é pensar sempre primeiro no bem estar e na felicidade dos filhos independentemente do caminho que sigam e não foi isso que os meus fizeram, pensaram primeiro “no que as pessoas vão pensar se souberem”. No que me diz respeito por muito que as coisas mudem agora é tarde.
Já agora, tens algum blog? há muito que vejo que me comentas, o que muito agradeço mas nada sei de ti. Um abraço e mais uma vez obrigado.

Angelo disse...

Não sabia que era assim tão fácil esquecer-se de trabalhar com uma moto serra...

De resto, com a idade, a gente vai apreciando outras coisas!

paulofski disse...

Como diz o povo, é a conversar a gente se entende. Pode ser o ínicio de uma boa caminhada, os dois pelas encruzilhadas da vida. Fiquei contente por saber.

Já agora isso de usar motoserra é muito fácil. Também eu ia passar férias na aldeia, vindimar, rossar mato, buscar garrafões de água da fonte e rachar lenha com um machado, até fazer calos nas mãos. E mesmo assim para mim e para o meu irmão era o nosso pequeno paraíso.

Teté disse...

Pai é sempre pai, mesmo que discorde do(s) filho(s)! Mais cedo ou mais tarde, a reaproximação é inevitável... :)

Beijocas!

So disse...

Fiquei muito contente quando li este post, sei, sendo eu uma assídua da tua casa lol que a relação que tens com o teu pai eh complicada, acho que não só devido à questão da tua sexualidade mas acho que ele por si só eh uma pessoa que se fecha, e tu tambem acabas por fazer o mesmo... tb ja disse que a falta de actividades em conjunto vos tornam mais desunidos e contribui pra isso, portanto acho mt bom que tenhas ido com ele e que tenham pelo menos passado algum tempo juntos, mesmo que nao seja a conversar pelos cotovelos, mas pelo menos ali só estavam vocês os dois e a lenha =)