terça-feira, 24 de agosto de 2010

Aveiro - Figueira da Foz

Tal como prometido vou fazer um pequeno resumo da nossa Road Trip por Portugal. No dia 8 para minha surpresa a minha mãe comprou um bolo de aniversário e como era domingo estavam mais alguns familiares cá por casa e todos lhe cantaram animadamente os parabéns e fizeram fila para tirar fotos com ele. Os de fora, pensam que é apenas um amigo e trataram-no com toda a simpatia e os maus pais que há dois anos não me podiam ouvir falar de um rapaz qualquer que espumavam-se logo, também fizeram com que se sentisse em casa… Claro que nunca se tocou no assunto mas, será que as coisas estão a mudar??
Não importa.
No fim de jantar saímos de casa porque eu tinha planos de comemorações a sós eheh! No dia seguinte, aproveitamos para ficar um bocado até mais tarde na cama e por volta das 10:30h partimos para Aveiro onde nos empanturramos de ovos-moles! O Theo já conhecia a cidade por isso demos apenas uma voltinha e fomos fazer praia para a Torreira. À noite, ficamos na pousada da juventude de Aveiro! Algumas fotos de Aveiro:






Na terça-feira, mais uma vez acordamos tarde e partimos em direcção à Figueira da Foz. Aqui ,a Dona Carminda (GPS) decidiu enfiar-nos nesta estradinha…

A foto foi tirada num local onde ainda não havia as crateras que encontramos no asfalto mais à frente. Francamente não sei como o meu carroço se aguentou... Diga-se também que, fizemos um precurso de 20 minutos sem encontrar uma única pessoa. A certa altura, tendo visto vários carreiros de areia junto da estrada pensei que poderíamos encostar o carro e seguir um dos carreiros até à praia… Esta ideia revelou-se ser PÉSSIMA!! Assim que encostei o carro na berma junto a um destes carreiros, rapidamente percebemos que não iamos conseguir voltar a sair… Quanto mais empurrávamos e tentávamos fazer marcha atrás, mais o carro se enterrava… Sorte que era de dia pois qual filme de terror, não havia rede nos telemóveis para chamar o reboque… Por milagre, não tardou que um carro passasse e parasse para nos ajudar… Dentro do carro vinha um homem jovem, mulato, da altura do Theo mas com uma musculatura invejável. Digamos que ambos tivemos de admitir que o senhor era muito… “interessante”…

O rapaz, a quem recordo agora, não perguntamos o nome mas que era extremamente educado e simpático, esteve connosco a tentar tirar o carro mas o mesmo recusava-se a mexer um centímetro que fosse… Depois de virarmos o nosso carro ao contrário em busca de algo para usarmos como forma de reboque, o rapaz lembrou-se que trazia no seu veículo um cabo de aço que ele usava no ginásio. Não me perguntem o que ele fazia com aquilo porque nenhum de nós compreendeu. De qualquer modo, atamos os dois carros e ainda com algum esforço conseguimos rebocar o meu velho Fiat para fora do areal. No final, o cabo de aço ficou muito mal tratado e teve mesmo de se cortar com um alicate mas o rapaz recusou que lhe pagássemos o cabo e despediu-se de nós desejando-nos boas férias. Ainda demoramos mais uns 20 minutos até alcançarmos de novo civilização e durante todo o tempo não passou nem mais um único carro por nós... Devo admitir que eu próprio, na situação do rapaz e vendo dois marmanjos com o nosso cabedal parados na berma de uma estrada deserta, nunca pararia… Tendo em conta toda a situação tenho de concordar com o Theo quando ele diz: “Descobri que afinal Jesus é preto!!”

Claro que todo o esforço tem a sua recompensa e mais tarde encontramos aquilo que procurávamos… uma praia completamente deserta, só para nós, perto de Quiaios. Longe de crianças birrentas e turistas em forma de enxame. Aqui fica um pequeno vídeo da praia na autoria do Theo enquanto eu me refrescava. Bem o tentava chamar para entrar na água mas para quem está habituado à água do Brasil, não havia forma de o arrastar para dentro da nossa versão do Atlântico.
video

8 comentários:

Theo.. disse...

MOR que post mesmo giro, tenho mesmo boas lembranças dessas férias, foram as melhores de sempre. Sobre o episódio, acho que conhecemos mesmo Jesus, pq soh ele pra nos ajudar naquele lugar, um detalhe depois daquilo tudo ainda tínhamos esperança que depois daquele banco de areia estava o mar, que ilusão, só queimamos nossos lindos pezinhos, o mar ainda devia estar a léguas de distância :P

Teté disse...

Eheheh, grande aventura essa na estrada deserta e caminho de areia! Mas tiveram sorte mesmo com o moço, porque hoje em dia ninguém pára, com receio de assalto ou coisa pior... :)

Curioso é que há estudos que dizem que Jesus - pelo local onde nasceu e pelo que supõe ser o que resta dos seus ossos - era mesmo de raça negra. Lá se vai a ilusão de um Jesus loirinho de olhos azuis... tipo Jesus Christ Superstar! :D

Mas concordo com o Theo: depois das águas quentes do Brasil, do Sul de Espanha ou do Algarve, as do Norte parecem mesmo um GELO!

Beijinhos!

pinguim disse...

Ainda há gente prestável; num caso desses, com tal isolamento, se ele não tivesse ajudado, poderiam ter que passar ali a noite.
Essas praias a norte da Figueira, depois da Serra da Boa Viagem, são maravilhosas.
Esperamos a continuação.

Diabba disse...

Hummm acho que estás a exagerar com aquilo dos "maus pais"... quando for ao Porto vou tirar a prova. hihihihihi ]:-)

Uma praia sem "pestaninhas", que sorte do catano!

beijo d'enxofre para ambos (um para os dois, estou forreta)

Mike disse...

Psi, que ricas férias. Apesar dos precalços que mais se pode querer que uma praia neste estado.
Venha de lá mais, pois então. :-)
Abraço.

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Ja estive em Quiaios com um grupo de amigos em casa de uma amiga. E fomos à praia também. A tua rod trip é sempre diferente com uma D. Carminda mas claro que isso nao evita os imprevistos que fazem parte ;) Sao pequenas recordações a dar algum sal e sabor forte à viagem :)

E sim, da maneira como contas, as coisas estão a mudar. Afinal ninguem pediu nada e houve bolo e sentido de receber bem. Que mai se pode pedir?

Continuo a achar-vos uma bênção e um exemplo no amor...

X disse...

Essa estrada da foto é-me familiar! E Quiaios é, de facto, uma praia sossegada.

Zoninho disse...

o relato está o máximo e até eu que achava que estava a acompanhar a viagem deixei passar o aniversário do Theo...

e gostei do pormenor(?) da dona Carminda, nós usamos a voz de um Manel, mas também já nos pôs em estradinhas assim, e em Espanha... tudo sítios, onde, se acontece alguma coisa, nem fazes ideia aonde estás. e a experiência com o senhor muito interessante também teve a sua piada. e a vossa conclusão (Jesus é preto) é brilhante!

abraços aos dois